Ativistas levam sua luta contra os imigrantes para a fronteira

Integrantes do movimento 'Tea Party' fazem protesto no Arizona para denunciar 'fraca' política federal de imigração

The New York Times |

Nenhum imigrante teria ousado atravessar do México para os Estados Unidos em Hereford, no Arizona, no domingo.

Centenas de ativistas do movimento Tea Party se reuniram na fronteira local, região que é normalmente uma desolada e popular entre traficantes, para fazer um protesto a favor de políticos conservadores e denunciar o que chamaram de uma fraca execução federal das leis de imigração.

O protesto contou com uma presença significativa de agentes que trabalham na segurança da fronteira, bem como de numerosas patrulhas privadas de defensores de uma fronteira mais segura.

O governo Obama insiste que as estatísticas mostram que o aumento significativo no financiamento federal da Patrulha da Fronteira têm ajudado a reduzir a criminalidade na região e dificultado o contrabando de imigrantes e de drogas.

Mas os ativistas que se reuniram no domingo tinham uma opinião diferente. A fronteira, na sua opinião, ainda é muito fácil de atravessar e se tornou tão perigosa que alguns deles levaram suas próprias armas para proteção. Os organizadores encorajaram os participantes a deixar as armas nos carros.

“Ao invés de encontrarmos insetos em nossas camas, nós estamos encontrando invasores de domicílio”, disse Tony Venuti, apresentador de rádio de Tucson, que colocou um enorme cartaz na cerca da fronteira que pedia que os imigrantes seguissem para Los Angeles, onde seriam mais bem-vindos, e chegando a oferecer instruções sobre como localizar a cidade.

Dirigindo-se à multidão, o xerife Joe Arpaio, que realiza batidas controversas em bairros de imigrantes em Phoenix e em outras regiões do condado de Maricopa, disse que o problema poderia ser resolvido se a Patrulha da Fronteira tivesse permissão para rastrear imigrantes do lado mexicano, antes que eles atravessem.

O governo Obama deu início a uma defesa de suas políticas para as fronteira nos últimos dias.

“Há muito trabalho a ser feito? Sem dúvida. O problema é um dos mais importantes, um desafio para a nação? Claro”, disse John T. Morton, diretor da federal de Imigração e Fiscalização Aduaneira de Phoenix, na semana passada, prometendo que a sua agência está comprometida a garantir a segurança da fronteira.

O protesto foi realizado em terrenos privados, não muito longe de onde um fazendeiro popular do Arizona foi assassinado no final de março, um crime que ajudou a alimentar o debate sobre a imigração no Estado.

Por Marc Lacey

    Leia tudo sobre: imigraçãoeuaarizonaméxicofronteira

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG