Atividade física diminui conforme crianças crescem, diz estudo

Crianças novas passam muito tempo se movendo: em média três horas por dia aos 9 anos, mostram novas pesquisas.

The New York Times |

Mas em pouco tempo, toda aquela energia da infância desaparece. Aos 15 anos, a atividade física cai para 49 minutos durante a semana e cerca de meia hora nos finais de semana, de acordo com a pesquisa, que será publicada nessa quarta-feira no Jornal da Associação Médica Americana.

Especialistas há muito acreditam que a atividade diminui quando as crianças entram na adolescência. Esse estudo, um dos maiores e mais longos realizados sobre o assunto, seguiu cerca de mil crianças de todo o país e, ao contrário de muitos estudos anteriores, usou aparelhos de monitoramento para rastrear a atividade cuidadosamente ao invés de depender de relatórios dos pais.

Perda de energia

As descobertas, que mediram de caminhadas comuns à atividades físicas, mostram claramente que mesmo a criança mais enérgica passa por uma queda em sua atividade quando chega à puberdade.

"Eu fiquei surpreso com o grau do declínio na atividade; é uma mudança dramática", disse o principal autor do estudo, Dr. Philip R. Nader, professor emérito de pediatria da Universidade da Califórnia, San Diego. "Crianças mais novas são naturalmente ativas, mas conforme elas crescem, têm menos oportunidades para serem ativas".

A pesquisa fez parte de um contínuo Estudo dos Cuidados com Crianças Pequenas e Desenvolvimento Juvenil, uma obervação da saúde das crianças americanas que teve início em 1991 e foi financiada pelo Instituto Nacional de Saúde.

Os autores fizeram com que as crianças usassem aparelhos que medem o movimento durante uma semana em casa uma das seguintes idades: 9, 11, 12 e 15.

Em geral, os meninos são mais ativos que as meninas, se movimentando em média 18 minutos a mais.

Os 13 anos é a idade mais vulnerável. Apesar da atividade não ser medida nessa idade, modelos matemáticos mostraram que é nesse momento que a atividade diária aos finais de semana, para meninos e meninas, cai para menos de 60 minutos.

O estudo não mediu os motivos para o declínio, mas os pesquisadores perceberam que as escolas geralmente diminuem as atividades físicas quando as crianças crescem. O recreio diminui e muitas instituições cancelam as aulas de educação física. Além disso, os esportes se tornam mais exclusivos conforme as crianças crescem, permitindo apenas que os melhores atletas participem.

Por TARA PARKER-POPE

Leia mais sobre: crianças

    Leia tudo sobre: crianças

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG