Assistente de McCain abandona campanha para não ter que enfrentar Obama

WASHINGTON - Mark McKinnon anunciou na terça-feira sua desistência do cargo de principal estrategista publicitário do senador John McCain, mantendo uma promessa que fez há meses de não entrar na disputa contra o senador Barack Obama.

New York Times |

Sua partida segue a de outros cinco assistentes do candidato nos últimos dias por causa de trabalhos fora da campanha - como lobistas para corporações e nações estrangeiras e, em um caso, como estrategista para um grupo político independente - que representavam conflito de interesses.

Ao dizer à Cox News Service em junho passado que não trabalharia contra uma campanha de Obama, McKinnon afirmou que a eleição de Obama à presidência "seria uma ótima mensagem para o país e o mundo". Naquele entrevista, McKinnon disse ter divergências políticas com Obama, especialmente sobre o Iraque, e acreditar que McCain era o melhor candidato por causa de sua posição a respeito da segurança nacional. Mas, acrescentou, "Eu simplesmente não quero trabalhar contra uma campanha de Obama".

A decisão de McKinnon ressalta os desafios que McCain enfrenta ao concorrer com um homem que será o primeiro candidato negro à presidência por um grande partido político, caso conquiste a indicação.

McKinnon disse a amigos e alguns jornalistas que não queria participar de uma disputa difícil contra um candidato histórico. Em sua entrevista à Cox ele disse sobre Obama: "Eu acho que ele tem um caráter sério e um ótimo julgamento. Também acho que ele está errado em algumas questões essenciais, mas acredito que ele é honesto e independente".

A situação dividiu a lealdade de um homem conhecido por mantê-la. Mas um conselheiro de McCain, que falou sob condição de anonimato, afirmou que a escolha de McKinnon não foi entre Obama e McCain, que continua seu candidato à presidência, mas entre manter sua palavra ou não.

"Não se trata de neutralidade", disse o conselheiro. "Eu acredito que isso realmente o machuca, mas ele se comprometeu a fazer algo".

McKinnon, que vive em Austin, Texas, é uma exceção entre os políticos republicanos. Ele passou a maior parte de sua carreira trabalhando para democratas, incluindo Ann Richards, ex-governadora do Texas, e Buddy Roemer, ex-governador da Louisiana e congressista.

Mas ele também tem uma reputação como estrategista que se associa pessoalmente com seus candidatos, como fez por George W. Bush, por quem mudou de lado nas campanhas de 2000 e 2004.

    Leia tudo sobre: mccain

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG