Arrecadação de fundos para posse de Obama chega a US$24 milhões

WASHINGTON - O presidente eleito Barack Obama arrecadou mais de US$24 milhões para sua posse até o momento. Grande parte deste dinheiro veio de cheques de valores fixos em US$25 mil ou US$50 mil de executivos do Vale do Silício, Wall Street e Hollywood, bem como de antigos partidários da senadora Hillary Rodham Clinton.

The New York Times |

Acordo Ortográfico

Entre os doadores proeminentes está o bilionário George Soros, financiador de causas liberais, o diretor Steven Spielberg, a atriz Halle Berry e Berry Gordy Jr., fundador da Motown Records.

Os US$24 milhões colocam Obama na metade do caminho de seu objetivo final de arrecadar entre US$40 milhões e US$45 milhões para o que pode ser a posse mais cara da história americana, ultrapassando os US$42.3 milhões gastos por Bush em 2005.

Cerca de 1.200 pessoas contribuíram com US$200 ou mais, de acordo com o website do comitê de posse , que voluntariamente revela os valores doados em tempo real. O site não mostra as doações de pequenos contribuintes, então não está claro quantas pessoas contribuíram ou o valor oferecido, e representantes de Obama dizem que a arrecadação online destinada a estes pequenos doadores está apenas no começo.


Obama chega a Washington onde toma posse em 20 de fevereiro/ NYT

Os grandes doadores incluem 189 arrecadadores, que reuniram US$21,6 milhões dos US$24.8 milhões (muitos dos quais também doaram US$50 mil). Destes, 103 arrecadadores, que conseguiram US$12 milhões para a posse, também trabalharam para arrecadar dinheiro para a campanha de Obama, de acordo com uma análise do grupo Alexander Cohen of Public Citizen, que busca endurecer as leis de financiamento de campanha.

"As mesmas pessoas bem conectadas estão pagando pela posse", disse Craig Holman, lobista do Public Citizen. "O que elas conseguem em troca é uma chance de influenciar políticas ou conseguir contratos governamentais".

Linda Douglass, porta-voz do comitê de posse de Obama, discordou e disse que os doadores não estão comprando acesso ao governo. "Ninguém que contribuiu com o presidente eleito Obama foi levado a crer que terá alguma influência sobre ele", disse Douglass.

O anúncio dos doadores pelo comitê é uma novidade em uma gestão em seu primeiro mandato.O comitê também proibiu a doação de corporações, sindicatos e lobistas. A doação de indivíduos foi limitada a US$50 mil, que é menos do que o limite de US$250 mil estabelecido por Bush e mais do que o limite de US$100 estabelecido por Bill Clinton em 1997. (Clinton conseguiu um excedente de US$9 milhões de sua posse de 1993, quando aceitou doações maiores.) A equipe de Obama também limitou as doações em grupo a US$300 mil.

Por KATHARINE Q. SEELYE

Leia mais sobre Obama

    Leia tudo sobre: obama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG