Após tempestade, governo e voluntários lutam para restaurar cidade italiana

Autoridades e moradores trabalham para recuperar região de Vernazza, ponto turístico da Itália e patrimônio universal da Unesco

The New York Times |

Quando a Unesco colocou a região de Cinque Terre - formada por cinco cidades costeiras medievais ao longo da costa da Ligúria, na Itália - à sua lista de patrimônios universais em 1997, citou "a interação harmoniosa entre pessoas e natureza, que provoca uma paisagem de excepcional qualidade cênica”.

A natureza rompeu este pacto no dia 25 de outubro, quando uma tempestade violenta atingiu a cidade de Vernazza e colinas vizinhas. Ao longo da costa noroeste da Itália, as chuvas provocaram dezenas de deslizamentos de terra. Os corpos de três moradores, varridos para o mar pela tempestade, foram recuperados semanas mais tarde em águas costeiras francesas.

NYT
A cidade de Vernazza, na Itália, que foi danificada por uma forte tempestade em outubro (20/12)

Vernazza sofreu o maior impacto da tempestade, mas os caminhos pitorescos que ligam as cinco aldeias, uma excursão que atrai pelo menos 1 milhão de visitantes por ano, foram destruídos em diversos pontos e fechados para o público.

Dois meses depois, grande parte da lama e dos detritos foram removidos da rua principal de Vernazza, que poucas semanas atrás funcionava como um pólo turístico agitado, com restaurantes, bares e lojas.

Quase um quarto dos 600 moradores da cidade voltaram para suas casas, mas as ruelas ainda estão tomadas pelos sons de máquinas pesadas, perfurando e martelando.

Muitos dos trabalhadores responsáveis pelo restauro são voluntários locais, homens e mulheres de cidades próximas a Vernazza, que ajudam o máximo que podem.

"Há muito trabalho a ser feito porque Vernazza ainda não está segura e o território não está em condições de suportar novas chuvas", disse o prefeito Vincenzo Resasco.

Proteger a cidade, explicou o prefeito, inclui restaurar cuidadosamente paredes de pedra que delineiam as colinas que a cercam.

Angelo Maria Betta, prefeito de Monterosso al Mare, outra cidade que faz parte de Cinque Terre e foi seriamente danificada pela tempestade, mal pode esperar para reabrir negócios que foram inundados.

"Se não consertarmos Cinque Terre, deixaremos um buraco na economia local que seria difícil de preencher", disse ele. As autoridades dizem que os caminhos que ligam as cidades estarão abertos até a Páscoa e prometem restaurar as cidades o mais rápido possível.

"Vernazza será reconstruída como antes", prometeu Resasco. “Fiz um pacto com os cidadãos para deixar a cidade ainda melhor do que era. Essa é uma mensagem de esperança e não de aceitação. Somos da Ligúria e aqui nós somos teimosos."

Por Elisabetta Povoledo

    Leia tudo sobre: itáliaenchenteinundações

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG