Apaixonado por helicópteros, prefeito de NY está na fila por lançamento

Michael Bloomberg espera por máquina que ficará pronta depois de 2016 e pode custar de US$ 5 milhões a US$ 30 milhões

The New York Times |

Entre todos os brinquedos que um bilionário pode comprar, o Agusta Westland AW609, um híbrido de helicóptero e avião, está possívelmente no topo dos mais extravagantes. Quarenta pessoas já faziam fila para comprar a máquina, que tem como modelo o Osprey V22 usado no serviço militar. Ele efetua manobras da mesma maneira que um helicóptero, mas com a velocidade e a altitude de um avião.

Nissan NV 200: Táxi do futuro chega a Nova York para testes

A máquina ficará pronta apenas depois de 2016 e o seu preço ainda não foi estabelecido - embora estimativas determinem um valor entre US$ 5 milhões e US$ 30 milhões. E uma das primeiras pessoas na lista de espera é o prefeito de Nova York, Michael R. Bloomberg.

NYT
Bloomberg como copiloto de helicóptero do Departamento de Polícia em Nova York
Bloomberg, ao que parece, é um fã de helicópteros. Ele não apenas gosta de utilizá-los como seu método de transporte, mas também gosta de pilotá-los. Seus companheiros pilotos já presenciaram como ele gosta das peculiaridades mecânicas de um helicóptero e quão rápido ele se atualiza sobre as mais novas notícias do mundo da aviação.

De acordo com registros, através de sua empresa, Bloomberg é dono do helicóptero de seis lugares Agusta SPA A109S, que vale cerca de US$ 4,5 milhões, que ele deixa parado no Aeroporto Municipal de Morristown, em Nova Jersey, juntamente com seus aviões particulares.

Rastreamento

Não existem dados públicos sobre a frequência com que o prefeito pilota seu helicóptero, mas os que estão familiarizados com seus costumes de viagem disseram que ele já o pilotou até Albany e Hamptons, entre outros destinos. Sua reputação no meio aéreo é tanta que outros pilotos chegam até mesmo a reconhecer o seu número de cauda, mas Bloomberg bloqueou sistemas de rastreamento públicos para que seu paradeiro não possa ser verificado. O helicóptero, inclusive, pode vir a ser muito útil durante sua jornada de trabalho.

Na manhã do dia 16 de março, uma espessa neblina cobria a cidade, causando atrasos no Aeroporto de La Guardia, onde o prefeito e vários legisladores estavam à espera de um voo para viajar para Albany para uma coletiva de imprensa sobre a reforma da previdência estadual. Bloomberg se ofereceu para levar seus convidados, que incluíam James P. Molinaro, o presidente do distrito de Staten Island; Thomas M. Roach, o prefeito de White Plains; Micah C. Lasher, um assessor do prefeito, e um agente de segurança, em seu helicóptero.

Alguns oficiais públicos, como o deputado Jerrold L. Nadler, disse que tem medo que a paixão de Bloomberg possa atrapalhar seu julgamento na hora de lidar com questões de segurança de helicópteros no espaço aéreo congestionado de Nova York. Após um acidente fatal no East River em outubro do ano passado, o prefeito defendeu avidamente o histórico de segurança dos helicópteros.

"Acontecem três ou quatro mortes em acidentes automobilísticos a cada semana nessa cidade", disse o prefeito. "E nem por isso estão sugerindo a proibição dos automóveis."

*Por Christine Haughney

    Leia tudo sobre: nova yorkmichael bloomberghelicópterotráfegoavião

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG