Americanos temem que comparecimento recorde pode sobrecarregar sistema eleitoral

Milhões de eleitores irão encontrar um cenário pouco familiar e de baixa tecnologia nas urnas desta terça-feira. Cerca de metade de todos os eleitores irão votar de forma diferente da que fizeram na última eleição presidencial e a maioria irá fazer isso usando cédulas de papel e não as urnas eletrônicas que causaram preocupações entre os especialistas.

New York Times |

Acordo Ortográfico

Mas a mudança não garantirá uma eleição tranquila, uma vez que o sistema eleitoral do país não foi testado diante dos números recordes de comparecimento esperados para este ano. Seis anos depois de uma reforma federal da forma como as eleições são coordenadas, especialistas preveem a falta de urnas e cédulas em diversos Estados disputados, além da contagem lenta em diversos locais.

Cerca de dois terços dos eleitores irão marcar sua opção com um lápis numa cédula de papel que será contabilizada por uma máquina de leitura ótica, um método considerado mais confiável e comprovável do que as telas sensíveis usadas anteriormente. Mas cédulas de papel também têm seus problemas, afirmam os especialistas.

As máquinas que contabilizam os votos podem quebrar, levando a atrasos e confusão entre os responsáveis e eleitores. Além disso, as cédulas de papel de cerca de um terço de todos os eleitores não serão contabilizadas no local de votação, mas sim em um local estabelecido pelo condado. Isso significa que se o eleitor cometeu um erro - não preenchendo um quadrado corretamente, por exemplo, um erro comum entre os novatos que chegarão às urnas nesta eleição - ele não será percebido até que seja tarde demais. Como resultado disso, essas cédulas serão desqualificadas.

Grupos defensores do direito ao voto também entraram com ações contra autoridades eleitorais na Pensilvânia e Virgínia, dizendo que elas não têm estoque suficiente de cédulas para o público esperado.

A maioria dos especialistas em eleições não prevê uma reprise dos problemas acontecidos na Flórida em 2000, mas eles alertam que a falta de urnas eletrônicas ou cédulas de papel em Estados disputados, juntamente com problemas com a verificação da identidade dos eleitores, pode causar filas e irritação.

"O que acontece tradicionalmente neste país é que a modernização do equipamento eleitoral acontece uma vez durante a vida de um agente eleitoral", disse Kimball W. Brace, presidente do Election Data Services, uma companhia de pesquisa eleitoral. "Desta vez, quase 60% do país irá votar em locais que nos últimos oito anos mudaram seus equipamentos".

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG