Al-Qaeda tenta nova tática na Somália: filantropia

Distribuição de comida em área afetada pela crise de fome levanta uma questão: que tipo de grupo é a Al-Qaeda atualmente?

The New York Times |

A Al-Qaeda não é conhecida por suas atividades filantrópicas, mas neste fim de semana o grupo terrorista parece ter se ramificado em um novo negócio na Somália: a distribuição de ajuda humanitária.

Em uma cena surreal, um homem com um lenço colocado sobre o rosto se posicionou no meio de um acampamento cheio de pessoas morrendo de fome e anunciou que ele tinha vindo para a Somália, em nome de Ayman al-Zawahri, líder da Al-Qaeda, e que o grupo estava ansioso para ajudar as vítimas da fome.

AP
Mães do sul da Somália seguram seus filhos em um centro médico localizado em Mogadíscio (16/09)

"Nossos queridos irmãos e irmãs na Somália, estamos acompanhando sua situação diariamente", disse o homem, identificado como Abu Abdulla Almuhajir.

De acordo com testemunhas, ele estava cercado por homens armados e mascarados que usavam roupas limpas e brancas como aquelas usadas por trabalhadores de ajuda humanitária. Almuhajir distribuiu grãos doados em sacos em que estava escrito: "Campanha da Al-Qaeda em nome do Mártir Bin Laden. Ajuda de caridade para as pessoas afetadas pela seca."

Mais estranho ainda: a pele de Almuhajir era branca e ele falava inglês perfeito, com sotaque americano. Ele disse que os "irmãos da Al-Qaeda" tinham levado grãos, leite em pó e frutas secas para as vítimas da fome e que Al-Zawahri o havia enviado para a Somália com uma mensagem de saudação e compaixão.

"Embora estejamos separados por milhares de quilômetros, vocês estão constantemente em nossos pensamentos e orações", disse o homem a somalis reunidos em torno dele na sexta-feira, segundo testemunhas.

A fome está devastando as regiões do sul da Somália. A Organização das Nações Unidas (ONU) afirma que milhares de pessoas morreram em todo o país e que até 750 mil poderiam morrer de fome nos próximos meses.

As áreas mais atingidas são, na maioria, controladas por militantes do grupo Al-Shabab, que juraram lealdade à Al-Qaeda. O acampamento controlado pelo Al-Shabab que Almuhajir visitou fica nos arredores de Mogadíscio.

O episódio levanta muitas questões: O que exatamente é a Al-Qaeda nos dias de hoje? É uma filosofia que ninguém realmente representa? Ou é um grupo organizado que envia emissários em missões de relações públicas para lugares como a Somália?

“Eles querem tirar proveito do povo que tem fome para conseguir recrutar crianças", disse Abdulkadir Mohamed Hussein, ministro de informação do governo de transição.

Vários moradores de Mogadíscio que foram entrevistados no domingo também pareciam revoltados.

Abdullahi Yasin, um estudante universitário, chamou a distribuição de alimentos de um "escárnio". Ele disse que foi a crise de fome foi causada pela política do Al-Shabab, inspirada na Al-Qaeda, de banir a entrada de grupos ocidentais de ajuda humanitária.

Por Jeffrey Gettleman

    Leia tudo sobre: al-qaedasomáliafomeal-shababonu

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG