Alemanha para demolição de estação ferroviária centenária

Polêmica sobre o novo projeto para histórica estação de Stuttgart causa protestos e se torna crise política

The New York Times |

Com a esperança de esfriar o que se tornou um problema político cada vez maior e uma vergonha nacional para a liderança do país, autoridades alemãs afirmaram na última terça-feira que não irão cortar mais árvores ou demolir a ala remanescente de uma estação de trem centenária, pelo menos por enquanto.

Embora as observações feitas por oficiais não tenham representado uma moratória sobre a construção de uma nova estação central para trens de alta velocidade na cidade de Stuttgart, elas marcaram a primeira vez em que oficiais retrocederam em relação a continuidade da construção do projeto Stuttgart 21, afirmaram líderes do movimento de oposição do Estado alemão de Baden-Wuerttemberg.

Reuters
A histórica estação de trem em Stuttgart, na Alemanha
Na semana passada, policiais dispararam canhões de água e spray de pimenta contra milhares de manifestantes que tentaram bloquear o corte de cerca de 25 árvores, algumas delas centenárias. No dia seguinte milhares de manifestantes saíram às ruas gritando "vergonha".

"Essa é a primeira oferta dos responsáveis pelo projeto a fim de esfriar a situação", disse Gangolf Stocker, porta-voz e organizador de um movimento popular que tentou impedir a construção do projeto multibilionário.

No entanto, ele disse não acreditar na afirmação da liderança de que iria parar de cortar árvores e pediu que os protestos continuem enquanto o governo não concordar em congelar o projeto e negociar.

Reuters
Em Berlim, protesto contra a demolição da estação (6/10/2010)
Planejado há quase 15 anos, o projeto Stuttgart 21 pede a derrubada de duas asas de uma estação de trem de um século de idade e a substituição de trilhos acima do solo por quilômetros de túneis que permitirão a Stuttgart a ligação a um sistema ferroviário de alta velocidade. O projeto, que levará cerca de uma década para ser concluído, exige o corte de cerca de 300 árvores em um parque popular logo atrás da estação.

Oposição

A oposição ao projeto tem aumentado desde que o trabalho de demolição teve início no verão, com dezenas de milhares de moradores da área, conservadores ricos, aparecendo para integrar as manifestações semanais.

O conflito local se tornou uma crise nacional na semana passada para a chanceler Angela Merkel, que apoia o projeto, quando as imagens de manifestantes feridos foram transmitidas para todo o país. As pesquisas sugerem também que a questão poderia fazer com que o partido de Merkel, o União Democrata-Cristã, perca o controle do Estado nas eleições de março.

*Por Michael Slackman

    Leia tudo sobre: alemanhaestação de tremstuttgartprotestos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG