Afeganistão vive pior momento desde 2001, diz enviado europeu

GENEBRA - Um dos mais experientes enviados ocidentais ao Afeganistão afirmou no domingo que a situação no país é a pior desde 2001. Ele pediu uma resposta internacional urgente, mesmo antes da posse da nova gestão americana, para evitar um inverno dramático para todos nós.

The New York Times |

Acordo Ortográfico

O enviado, Francesco Vendrell, um diplomata espanhol com oito anos de experiência no Afeganistão, criticou especialmente o crescente número de mortes entre civis nos ataques das forças americanas e internacionais.

Estas mortes criaram "uma enorme antipatia" e ampliaram a distância entre o governo afegão e seu povo, ele disse num encontro de especialistas em política e segurança estrangeira organizado pelo Instituto Internacional de Estudos Estratégicos. Vendrell abandonou há pouco o cargo de enviado da União Europeia em Cabul.

As forças militares americanas investigam a alegação de moradores de uma vila do oeste afegão de que cerca de 90 homens, mulheres e crianças morreram num ataque com míssil no dia 22 de agosto. O governo afegão e uma investigação da ONU defendem a afirmação, mas os oficiais americanos dizem que apenas sete civis morreram por causa do ataque.

Vendrell alertou ainda que a situação é precária entre as tribos Pashtun que vivem no sul do país, perto da fronteira com o Paquistão.

Ele também disse que a insurgência, liderada pelo Taleban, se espalhou não apenas no leste, mas também perto de Cabul e em enclaves de regiões relativamente pacíficas.

Ainda que apenas uma minoria dos Pashtuns apoie ativamente o Taleban, ele disse, a maioria deles "está em cima do muro para ver quem será o vencedor".

Por causa dos problemas enfrentados pelo país (o aumento no custo dos alimentos e do combustível, a deterioração da segurança e o que Vendrell diz ser uma falha da comunidade internacional em lidar com o Taleban ou os poderes regionais do Paquistão, Irã e Índia em busca de soluções) ele disse que o Afeganistão pode ter que enfrentar "momentos difíceis" que se transformarão num "inverno dramático para todos nós".

Vendrell pediu que as autoridades afegãs e agências internacionais ofereçam assistência concreta para persuadir os moradores de que os ocidentais e o governo de Cabul podem oferecer segurança e algum bem-estar depois de qualquer sucesso militar contra o Taleban.

Por ALISON SMALE

Leia mais sobre Afeganistão

    Leia tudo sobre: afeganistão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG