Aço das Torres Gêmeas forma o coração de muitos memoriais do 11/9

NOVA YORK ¿ Quando Jeff Cox, 15, candidato ao título de Escoteiro Águia em Windermere, Flórida, levou ao prefeito da pequena cidade ideias para a melhoria do parque como forma de conquistar seu distintivo, o político lhe disse que esses projetos já haviam sido realizados.

The New York Times |

"Ele voltou e disse, 'A cidade gostaria de ter um memorial se conseguir aço do World Trade Center?'", disse o prefeito Gary Bruhn. "Eu fiquei surpreso. Então disse, 'Filho, a cidade ficaria honrada em ter algo assim'. E ele disse, 'Eu acho que eu preciso do apoio da cidade. Não acho que dariam o aço apenas para mim".

Não, eles não dariam - mas quase. Conforme o aniversário dos ataques do 11 de setembro de 2001,  na sexta-feira, se aproxima, pedaços do que restou do World Trade Center se tornam mais acessíveis do que nunca. Uma nova campanha está em andamento para acelerar o processo e aumentar a distribuição de grandes pedaços de aço e pequenos escombros.


Aço retorcido é usado em monumentos ao redor dos EUA/ NYT

A Autoridade Portuária de Nova York e Nova Jersey, proprietária do aço, irá convidar departamentos de polícia e bombeiros e prefeitos, além de outros líderes de cidades de todo o país a que solicitem o material para a construção de memoriais. A Autoridade Portuária recebeu aproximadamente 25 pedidos no último ano e tem outra dúzia pendente.

Nas últimas semanas, caminhões transportaram colunas de aço torcido que pesam centenas de quilos até York, Pensilvânia, e Westerville, Ohio. Um pedaço menor foi enviado aos escritórios de Defesa do Ar da Força Aérea dos Estados Unidos em Roma, Nova York.

"A melhor maneira de honrarmos a memória daqueles que perdemos no 11/9 é encontrar um lar no Memorial WTC e em cidades ao redor do país para as centenas de artefatos que nós cuidadosamente preservamos ao longo dos anos", disse o diretor executivo da Autoridade Portuária, Christopher O. Ward.

A Autoridade Portuária espera gerar mais interesse no aço com novos anúncios na polícia, bombeiros e revistas de comércio municipais. Há entre 1.800 a 2.000 peças, a metade delas muito grande, que estão disponíveis para retirada, por conta do recipiente.

Isto não inclui as cerca de 200 peças, entre elas as mais familiares e icônicas, que foram reivindicadas pelo Museu e Memorial Nacional do 11 de Setembro.

Entre os pedidos pendentes está um de Las Vegas, onde o Museu de Testes Atômicos quer uma peça de dois metros para colocar em uma moldura feita sob medida, e um da Universidade de Kentucky Oriental, que pediu uma peça de cerca de 50 centímetros. Também há um pedido de um corpo de bombeiros na França.

"O corpo de bombeiros de Saint-Etienne gostaria muito de exibir um artefato do World Trade Center como homenagem às vítimas, civis e bombeiros do ataque do 11 de setembro", escreveu o coronel Yves Bussiere, do corpo de bombeiros regional.

As peças - algumas pesando toneladas, outras pouco mais que folhas retorcidas de metal do tamanho de uma placa de sinalização de tráfico -  estão armazenadas no Hangar 17 do Aeroporto Internacional Kennedy.


Restos do World Trade Center estão em um angar em Nova York / NYT

O hangar de sete mil metros quadrados está dividido em várias grandes barracas de plástico onde máquinas regulam a umidade para que o aço não enferruje. Em uma barraca, um carro da polícia da cidade de Nova York é visto todo amassado no canto, como se tivesse sido jogado ali.

Lee Ielpi, presidente da Associação de Famílias do  11 de setembro, está enviando cartas para agências de segurança públicas oferecendo os artefatos. "Qualquer cidade, município, estado, corporação, outros países, França, Paris, Lyon que queiram um pedaço de aço, nós estamos preparados para responder a seus pedidos", ele disse.

Nos anos imediatamente seguintes ao ataque, doações de artefatos do 11/9 gotejaram para várias entidades, mas os pedidos não eram controlados por uma única organização, disse a Autoridade Portuária. A agência exige uma descrição detalhada em cada pedido sobre como o aço será exibido. Indivíduos não podem receber artefatos, apenas cidades ou organizações.

Os pedidos que estão pendentes ofereceram detalhes sobre o que queriam: "Eu estou procurando uma peça 'l' de cerca de 2 metros de comprimento; porém, qualquer coisa que pudermos receber significará mais do que palavras podem expressar", escreveu o tenente Michael L. Zarella do corpo de bombeiros de Mendon, Massachussets. Ele visitou o local e escolheu a peça que queria, um naco de aço de três metros "torcido como uma serpentina de festa", ele disse.


Ambulância danificada no 11 de Setembro também está no hangar / NYT

Os pedidos pelo aço também devem precisam ser aprovados pelo Juiz Alvin K. Hellerstein da Corte Distrital dos Estados Unidos, que acompanha os processos judiciais pelas mortes causadas pelos ataques. Ainda que o aço seja considerado possível evidência nesses casos, testes realizados no material foram concluídos em 2005. Desde então, o juiz concedeu todos os pedidos e não deu nenhuma indicação de que fará o contrário para os pendentes.

Em Windermere, uma cidade de 3.000 habitantes, o aspirante a Escoteiro Águia, Jeff Cox, conseguiu o apoio do prefeito para seu projeto e espera por seu aço. Ele tinha apenas sete anos quando os ataques acontecerem. "Eu não sabia ao certo o que era o prédio, mas me assustou", ele disse. "Ninguém sabia ao certo o que iria acontecer".

Ele disse que recebeu a promessa de uma peça grande. "Eles me deram seis opções para escolher", ele disse. "Eu acabei optando por parte de uma viga de aço, de cerca de 1m20 e 300 kg".

- Michael Wilson

    Leia tudo sobre: 11/9memorial

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG