Acesso ilegal a informações do Twitter gera dúvidas sobre segurança de ferramentas online

SÃO FRANCISCO - Você pode achar que sua senha protege informações confidenciais guardadas em websites. Mas como executivos do Twitter descobriram, essa concepção pode ser perigosa.

The New York Times |

A internet foi sacudida na quarta-feira depois de ser revelado que um hacker expôs informações corporativas sensíveis sobre o Twitter depois de invadir a conta de e-mail de um funcionário da empresa.

O problema gerou temores entre indivíduos e empresas sobre a segurança de senhas utilizadas para garantir as informações sensíveis que armazenam na internet.

Em websites que contém informações pessoais como e-mail, dados financeiros ou documentos, geralmente há apenas um nome de usuário e uma senha para a proteção.

Cada vez mais indivíduos guardam informações em servidores na web que podem ser acessadas de qualquer computador através de serviços oferecidos por empresas como Google, Amazon, Microsoft, Facebook ou Mozy.

Mas os sites protegidos por senhas se tornam cada vez mais vulneráveis porque para acompanhar o crescente número de senhas, as pessoas usam a mesma, de estrutura simples, em inúmeros serviços online.

Em um estudo do começo do ano, a empresa de segurança Sophos, descobriu que 40% dos usuários da internet usam a mesma senha para todos seus serviços online.

O ataque ao Twitter ressalta o problema. Para seus documentos internos, a companhia usa a versão para negócios do Google Apps, um serviço que o Google oferece gratuitamente a indivíduos. O Google Apps fornece e-mail, processador de texto, tabelas e calendários online.

O conteúdo é guardado nos servidores do Google, o que pode significar economia de dinheiro e transtornos, além de permitir que os funcionários alterem documentos simultaneamente. Mas isso também significa que sua segurança está garantida apenas por uma senha. Um hacker que entra na conta de uma pessoa pode acessar a informação compartilhada por amigos, parentes ou colegas, que foi o que aconteceu no Twitter.

A falha de segurança no Twitter aconteceu há um mês, segundo a companhia. Um hacker invadiu a conta de e-mail de um funcionário administrativo e conseguiu acesso à conta do Google Apps, onde o Twitter compartilha tabelas e documentos com ideias de negócios e detalhes financeiros, disse Biz Stone, cofundador do Twitter.

O hacker depois enviou documentos sobre os planos e finanças da companhia, contratos confidenciais e candidatos a empregos a dois blogs de tecnologia.

Alguns analistas dizem que a falha ressalta quão perigoso pode ser para pessoas e companhias guardar documentos sensíveis em servidores online.

Leia mais sobre internet

    Leia tudo sobre: euainternettwitter

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG