Abuso de drogas e álcool cresce nas forças iraquianas

Ameaça crescente leva membros da polícia e das forças militares a utilizarem álcool ou drogas durante o expediente

The New York Times |

Em algumas regiões do Iraque, segundo oficiais militares e a polícia, cerca de 50% de seus colegas, incluindo oficiais de alta patente, usam drogas ou álcool durante o serviço. Esses números, se estiverem corretos, poderiam questionar a prontidão das forças iraquianas em defender o país conforme a insurgência continua a ser uma força potente e as tropas dos Estados unidos se preparam para deixar o país no final do próximo ano.

The New York Times
Membros das forças iraquianas têm se tornado cada vez mais dependentes de álcool e drogas, frente à crescente ameaça insurgente


Embora não haja maneira de se saber o número exato de dependentes de drogas e álcool entre os 675 mil membros das forças de segurança do Iraque, entrevistas com dezenas de soldados, policiais, líderes políticos, funcionários da saúde, farmacêuticos e traficantes de drogas em todo o país indicam que seu uso na polícia e nas Forças Armadas tem se tornado cada vez mais comum e parece ter crescido significativamente no último ano.

"As pílulas são mais baratas do que os cigarros e nos deixam mais confortáveis e relaxados", disse Nazhan Al-Jibouri, policial da província de Níniveh, no norte do Iraque. "Elas nos ajudam a esquecer que estamos com fome e tornam mais fácil lidar com as pessoas. Elas nos encorajam nos momentos em que estamos enfrentando a morte".

Alguns oficiais da polícia e do Exército disseram que como os toxicodependentes são tipicamente seus lutadores mais destemidos, eles relutam em tomar medidas disciplinares contra eles.

The New York Times
Hospital Ibn Rushud, que oferece tratamento e reabilitação para dependentes químicos em Bagdá
O general Mohammed Al-Askari, porta-voz do Ministério da Defesa iraquiano, negou que os militares tenham um problema com drogas. "Essa conversa é exagerada", disse. "Você pode encontrar um ou dois soldados em nível de Brigada, mas eu não acho que isso seja algo assustador ou comum, por isso não será uma ameaça para nossas forças de segurança. Temos grandes sistemas de inteligência nos quais nosso principal dever é ir atrás daqueles que não seguem as regras militares". A polícia iraquiana não quis comentar.

EUA

Os militares dos Estados Unidos passaram as perguntas sobre o uso de drogas para as forças de segurança iraquianas. O problema foi agravado pela recente proliferação de remédios poderosos – bem como pelo contrabando de heroína, maconha e haxixe do Irã, Afeganistão e outros lugares.

A polícia e oficiais do Exército iraquiano na província de Diyala, na fronteira iraniana, dizem acreditar que os insurgentes estão adotando o contrabando de drogas para financiar suas atividades.

Membros das forças de segurança iraquianas reconhecem que o uso de drogas e álcool desempenha um papel na falta de disciplina geral entre os soldados e policiais iraquianos e pode ter contribuído para diversas surpreendentes manifestações de violência recentes.

As unidades que parecem ter os piores problemas de vício são aquelas com os trabalhos mais difíceis: em postos de controle de cidades tensas como Samarra, Baquba, Bagdá e Mossul, e nas forças especiais e equipes de rápida implantação do Iraque, que realizam a maior parte do trabalho contra o terrorismo no país.

*Por Timothy Williams e Omar Al-Jawoshy

    Leia tudo sobre: iraqueforças iraquianasálcooldrogaseua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG