A nova moda de Paris é alugar bicicleta

PARIS, França ¿ Elas são estranhas, pesadas e feias, mas viraram modismo ¿ e não estamos falando dos sapatos plataformas desta estação.

The New York Times |

Um ano depois do lançamento substancial das bicicletas cinzas conhecidas como Vélibs, elas estão sendo usadas por toda Paris. O aluguel das bicicletas é barato porque é subsidiado por publicidade, e outras grandes cidades - incluindo algumas norte-americanas ¿ estão explorando projetos semelhantes.

Getty Images

Posto de auto-atendimento da Vélib's:
transporte rápido e barato

Por volta de 20.600 Vélib´s estão sendo usadas em Paris, com mais de 1.450 estações de auto-atendimento. As estações são distantes aproximadamente 300 metros umas das outras, e existem quatro vezes mais estações de locação que estações de metrô, mesmo em uma cidade tão bem servida pelo sistema de metrô como Paris.   


No primeiro ano, segundo informações da prefeitura, foram realizadas 27,5 milhões de locações ¿ Paris tem aproximadamente 2,1 milhões de pessoas ¿ a maioria delas alugadas para viagens diárias. Em média, são realizadas 120 mil viagens por dia. Em 27 de julho, com a conclusão do Tour de France, serão escolhidos 365 clientes da Vélibs  para acompanhar um trecho da competição e cruzar a linha de chegada.

Existe o site da Vélibs, o modismo Vélibs e um blog da Vélibs ; um post recente discutia a melhor maneira de dirigir uma bicicleta usando saia. Um novo tipo de comportamento Vélibs está surgindo, principalmente durante o rush matutino, quando pessoas rapidamente buscam a melhor bicicleta a ser alugada: pneus cheios, correntes atadas, cestas no devido lugar.  

Liberdade

Natallya Ghyssaert, médica de 34 anos, fez uma assinatura anual por 29 euros, que permite que ela use uma das bicicletas pelo período de 30 minutos, quando quiser e sem pagar taxas extras. Ela usa uma Vélibs duas ou três vezes por dia e diz: Eu amo esse sistema; você pode ver Paris, pode se exercitar e ficar fora durante a luz do dia.

Uma Vélibs ¿ junção de vélo de bicicleta e liberté de liberdade ¿ pode também ser alugada por dia ou por semana, sendo cobrados 150 euros caso a bicicleta não seja devolvida. As taxas de uso aumentam gradativamente: duas horas custam 7 euros. Mas a maioria das locações dura menos que 30 minutos, pois as bicicletas podem ser devolvidas em qualquer estação.

Ninguém sabe ao certo quantas viagens de carro ou taxi são evitadas com esse sistema, mas, por ser amiga do meio ambiente, a Vélibs vem sendo promovida em um país onde empresas alertam para a fragilidade do nosso planeta em revistas distribuídas em papel compacto.

Benjamin Tomada, um cozinheiro de 30 anos, estaciona uma Vélibs próximo ao restaurante Music Hall, onde trabalha, e diz: Eu tenho carro, mas não uso. É sempre melhor alugar uma bicicleta que andar de metrô. 

Perigos

Ainda assim, existem problemas significativos com o trânsito, a segurança, o vandalismo e os roubos. Pelo menos três mil bicicletas foram roubadas ¿ quase 15% do total e duas vezes o original estimado. Algumas foram vistas na Romênia e outras foram encontradas em navios com destino ao Marrocos.  

Como o uso de capacete não é comum na França, três pessoas já morreram com suas Vélibs alugadas, atropeladas por ônibus e caminhões.

O programa de Vélibs foi concebido pelo prefeito do partido socialista, Bertrand Delanoe, e um contrato de 10 anos foi assinado com a JCDecaux,  a maior empresa de relações públicas e propaganda da França, depois de derrotar a oferta da rival Clear Channel. 

Getty Images

Ao guiar uma Vélib's por Paris, é preciso
estar atento ao tráfego de carros

Os motoristas que congestionam o trânsito em Paris, não são especialmente amigos de ciclistas e não estão particularmente felizes com as bicicletas que obstruem as ruas nem com os esforços do prefeito que pretende reduzir o tráfego em 40% até 2020. Em 2001, Yves Contassot, representante da prefeitura para meio ambiente, disse sobre os motoristas: eles só deixarão seus carros de lado quando fizermos com que eles vivam em um inferno. Os motoristas não esquecem a declaração.

Falsa boa idéia

As linhas de ônibus foram organizadas para as grandes ruas de passagem como o Boulevard Montparnasse ¿ considerado muito largo, chamado de XXG pela imprensa. Ainda não como Amsterdã, Paris está construindo mais ciclovias, assim como diminuindo o espaço para estacionamentos ocupando-os com estações de Vélibs.

Isso é que os franceses chamam de falsa boa idéia, diz Ronald Koven, motorista de carro. Os congestionamentos estão muito piores, e por causa deles, a poluição também.

Ghyssaert, a médica, disse que se sente segura com as bicicletas, exceto em bairros tumultuados onde existem muitos carros. Ela adimite que não é muito cuidadosa. Eu uso a bicicleta para desviar do trânsito, e sei que muitos motoristas estão irritados com tantas Vélibs nas ruas. 

Capacete seria uma boa idéia, disse, oferecendo uma solução muito francesa. A cidade deveria conseguir mais subsídios e dar aos usuários da Vélibs um cupom para retirar capacetes em grandes lojas.

Por STEVEN ERLANGER

Leia mais sobre: Paris

    Leia tudo sobre: bicicletaparis

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG