Através de túneis, KFC chega a palestinos que desejam o mundo fora de Gaza

Por NYT |

compartilhe

Tamanho do texto

Residentes de território sob bloqueio de Israel devem esperar que o pedido venha do Egito. A odisseia de entrega envolve dois táxis, um posto de controle e um túnel de contrabando

NYT

As batatas fritas chegam encharcadas e o frango há muito perdeu seu sabor crocante. Um balde com 12 peças sai por cerca de US$ 27 em Gaza - mais do que o dobro dos US$ 11,5 na fronteira com o Egito.

Cenário: Por dentro dos túneis que garantem sobrevivência em Gaza

New York Times
Contrabandistas em túnel trazem refeições do KFC para Gaza do Egito (13/05)

E a entrega de fast-food não é nada fácil: leva mais de quatro horas para as refeições KFC chegarem a Gaza numa tarde qualquer - os produtos chegam de El-Arish, no Egito, após uma jornada que envolve dois táxis, uma fronteira internacional, um túnel de contrabando e um jovem empresário coordenando tudo de uma pequena loja na Cidade de Gaza chamada de Yamama - pombo em árabe.

Medida: Egito usa esgoto para bloquear túneis na fronteira com a Faixa de Gaza

"É o nosso direito de desfrutar o sabor que outras pessoas do mundo podem desfrutar", disse o empresário Khalil Efrangi, 31, que abriu a Yamama alguns anos atrás com uma frota de motos transportando alimentos de restaurantes de Gaza, o primeiro serviço de entrega do local.

Não há nome de marca de franquias fast-food na faixa costeira de 140 km² e 1,7 milhão de palestinos, onde a entrada e saída de mercadorias e pessoas permanecem restritas e a taxa de desemprego é de cerca de 32%. A passagem para o Egito através de Rafah é limitada a cerca de 800 pessoas por dia, com homens entre 16 e 40 anos necessitando de autorização especial. Viajar através da passagem de Erez para Israel requer uma autorização e geralmente é permitida apenas para pacientes médicos, empresários e funcionários de organizações internacionais.

Palestinos geralmente se referem a Gaza como uma região sob cerco ou bloqueio por Israel, e o isolamento do mundo está entre as queixas mais comuns dos que vivem ali. Isso pode criar um intenso desejo de coisas que outros veem como mundano ou ordinário.

"As circunstâncias irregulares em Gaza desatam uma forma irregular de pensar", explicou Fadel Abu Heen, professor de psicologia na Universidade de Al-Aqsa, na Cidade de Gaza. "Eles pensam em tudo o que está logo atrás da fronteira, exatamente como o prisioneiro pensa naquilo além das grades."

ONU: Bloqueio israelense a Gaza fortaleceu Hamas

Abu Heen observou que, quando o Hamas, grupo militante islâmico que controla a Faixa de Gaza, rompeu a fronteira com o Egito em 2008, durante o auge do cerco israelense, milhares de moradores de Gaza inundaram El-Arish e compraram não apenas remédios e alimentos básicos, mas também cigarros, doces e coisas de que não precisam - só para mostrar que tinham conseguido trazer algo de fora. Romper o bloqueio, naquela época e atualmente, é visto como parte da resistência ao inimigo israelense, dando uma sensação de poder e controle para os moradores locais, mesmo se esse ato for feito por meio de frango frito.

Mesmo quando Israel relaxou as restrições às importações ao longo dos últimos anos, centenas de túneis ilegais floresceram em Rafah. Armas e pessoas são contrabandeados pelo subterrâneo, assim como carros de luxo, materiais de construção e bens de consumo, como iPads e iPhones. E agora: KFC.

Anteriormente chamado de Kentucky Fried Chicken, a franquia KFC foi aberta em El-Arish pouco além da fronteira sul de Gaza, em 2011, e na cidade de Ramallah, na Cisjordânia, no ano passado. Isso, juntamente com anúncios televisivos onipresentes do KFC e outros fast-food célebres, tem dado aos habitantes de Gaza um desejo ardente pela receita secreta do Coronel Sanders.

Então, depois que Efrangi trouxe alguns KFC de El-Arish para os amigos no mês passado, foi inundado de pedidos. um novo negócio nasceu. "Aceito esse desafio de provar que os habitantes de Gaza podem ser resilientes, apesar das restrições", disse Efrangi.

Nas últimas semanas, Efrangi coordenou quatro entregas, totalizando cerca de cem refeições, obtendo cerca de US$ 6 de lucro por cada uma. Ele promove o serviço na página do Facebook da Yamama e, sempre que há uma quantidade crítica de encomendas - geralmente 30 -, inicia um processo complicado de ligações telefônicas, transferências bancárias e coordenação com o governo do Hamas para trazer o frango de lá para cá.

New York Times
Sacolas com refeições da KFC são transportadas do Egito para Gaza através de túnel de contrabando (13/05)

Outro dia, Efrangi ligou para fazer 15 pedidos e o respectivo pagamento ao restaurante em El-Arish, onde um taxista egípcio pegou a comida. Do outro lado da fronteira, Ramzi al-Nabih, um taxista palestino, chegou ao posto de controle do Hamas em Rafah, onde os guardas o conhecem como "o cara Kentucky".

Do ponto de verificação, Nabih, 26, ligou para seu colega egípcio e disse-lhe que as dezenas de túneis oficiais do Hamas haviam liberado a entrega da comida. Primeiro, ele esperou perto do eixo do túnel, mas depois de um tempo desceu a cerca de 30 metros de profundidade em um elevador e parou no meio do caminho de 650 metros para encontrar dois meninos egípcios que empurravam as caixas e baldes de comida, envoltas em plástico, sobre um carrinho.

Nabih deu aos garotos cerca de US$ 16,50 e discutiu com eles por alguns minutos. Meia hora mais tarde, a comida foi colocada no porta-malas e no banco de trás de seu táxi Hyundai, com destino à Cidade de Gaza.

No Yamama, Efrangi classificou as refeições para os seus motociclistas entregarem na porta dos clientes. Ele relatou que limita o menu a pedaços de frango, batatas fritas, salada de repolho e torta de maçã, porque outros itens poderiam ser muito complicados.

"Alguns clientes querem um sanduíche sem maionese, ou um mais picante, ou um sanduíche com ou sem molho", disse. "É por isso que não dá para levar tudo, para evitar a entrega do pedido errado."

Por Fares Akram

Leia tudo sobre: gazakfcfast foodtúneis de contrabandohamas

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas