Em ascensão, imigrantes asiáticos surgem como força cultural na Califórnia

Por NYT |

compartilhe

Tamanho do texto

Apesar de debate sobre reforma migratória se centrar nos hispânicos, chineses e taiwaneses compõem metade da população de San Marino, onde maioria das casas vale US$ 1 milhão

NYT

Sob as palmeiras de Huntington Drive, rua batizada em homenagem ao magnata das ferrovias que fundou a cidade de San Marino, no sul da Califórnia, encontram-se placas penduradas para homenagear as famílias que ajudaram a patrocinar a celebração do centenário da cidade este ano. Há nomes como Dryden, Crowley e Telleen, famílias que vivem na região há gerações. Mas há nomes mais recentes também como: Sun, Koo e Shi.

Leia mais: Fronteira com México se transforma enquanto EUA buscam reforma migratória

NYT
David Fung e Andrew Fung, que ajudaram a criar um orgulho asiático em Los Angeles, se reúnem com Matthew Hui em uma sorveteria

Em março: Presidente Obama pressiona Congresso a agir rápido sobre reforma imigratória

Cenário: Obama deportou mais imigrantes ilegais no 1º mandato que Bush em oito anos

Há uma geração, os brancos representavam dois terços da população neste subúrbio de Los Angeles, onde a maioria das casas vale mais de US$ 1 milhão. Mas os asiáticos agora compõem mais da metade da população de San Marino, que há muito tempo tem atraído algumas das famílias mais ricas da região e foi outrora a casa para a sede ocidental da Sociedade John Birch.

A transformação ilustra uma mudança drástica nas tendências imigratórias da Califórnia ao longo da última década, que pode ser facilmente vista em toda a região: mais do que o dobro de imigrantes do Estado mais populoso da nação agora vêm da Ásia.

E a mudança nesta região é apenas um exemplo das formas de como a imigração está remodelando os Estados Unidos, alterando de diversas maneiras as ramificações políticas, econômicas e culturais. O número de latinos mais do que duplicou em muitos Estados do sul, incluindo o Alabama, a Georgia e a Carolina do Norte, criando novas tensões. Populações asiáticas estão aumentando em Nova Jersey, e imigrantes latinos estão revitalizando as pequenas cidades do centro-oeste.

Perspectiva: Esforços por reforma migratória nos EUA preocupam base republicana

Grande parte do debate atual a respeito da imigração no Congresso se concentrava em hispânicos e a Califórnia durante décadas foi vista como o destino principal desses imigrantes. Mas em cidades como San Gabriel -, assim como no condado Orange e no Vale do Silício na Califórnia do Norte - imigrantes asiáticos tornaram-se uma força cultural dominante em lugares que antes eram em grande parte dominados por brancos ou latino-americanos.

Muitos dos imigrantes vêm da China e Taiwan, onde faziam parte de uma população altamente educada e rica. Eles compram propriedades em locais como São Marino, onde a renda média é de quase o dobro de Beverly Hills e é o lar de um dos bairros com melhor desempenho escolar no Estado. A biblioteca local hoje oferece livros em mandarim.

Barreira: EUA querem construir uma grande 'cerca virtual' na fronteira com o México

AP
Janela de uma loja de noivas em San Gabriel, na Califórnia

Saiba mais: Veja o especial do iG sobre imigração nos EUA

Mas a riqueza não é uniforme, e há áreas de pobreza em vários subúrbios da classe trabalhadora da região, particularmente em comunidades vietnamitas e filipinas. "Esta é uma espécie de marco zero para um novo movimento imigratório nos Estados Unidos", disse Daniel Ichinose, um demógrafo do Asian Pacific American Legal Center. "Há pessoas que falam mandarim, vietnamita e espanhol todos vivendo juntos e enfrentando muitos desafios em comum."

Andrew e David Fung, que cresceram em Seattle, ficaram surpresos ao ver a difusão da cultura chinesa e taiwanesa em San Gabriel. Depois de se mudarem para a região há alguns anos para tentar ingressar na indústria do entretenimento, os irmãos Fung criaram vários vídeos de hip-hop celebrando o que eles chamaram de "vida boba", para abraçar a área que de acordo com suas letras ”crianças bebem mais chá do que bebidas alcoólicas”. Os vídeos se tornaram tão populares na internet que os líderes locais começaram a exibi-los em reuniões oficiais.

Os irmãos Fung ajudaram a criar um orgulho étnico local, que teria sido inimaginável há uma geração, disse Oliver Wang, um professor de sociologia na Universidade Estadual da Califórnia, em Long Beach, que cresceu em San Marino em 1980 e voltou para a região há três anos.

Janeiro: Obama pressiona Congresso por imigração, mas deve enfrentar divisões

EUA: Senadores condicionam reforma migratória a maior controle de fronteiras

Segundo ele, a região pode se tornar fundamental para a identidade asiática-americana na região da mesma maneira que o leste de Los Angeles está para os latinos ou o sul de Los Angeles está para os afro-americanos.

Mas o crescimento não ocorreu sem nenhuma reação. Embora haja pouca tensão na região nos dias de hoje, há uma história de confrontos relacionados à fala apenas do inglês, e algumas pessoas ainda conversam em voz baixa a respeito dos imigrantes chineses que ocuparam a região.

Mais recentemente, houve queixas sobre o chamado "turismo de maternidade", uma indústria que traz mulheres chinesas aqui para dar à luz, para que seus filhos possam ter a cidadania americana. Residentes, incluindo os imigrantes asiáticos, queixaram-se às autoridades locais a respeito de grandes casas que acolhem dezenas de mulheres grávidas ao mesmo tempo.

Mercado: Cartéis do México travam guerra sangrenta por rotas que levam aos EUA

NYT
Visitantes passeiam em shopping center em San Gabriel, Califórnia

Alimentos muitas vezes atraem estrangeiros para a região, que é repleta de restaurantes familiares onde uma refeição familiar pode chegar a custar menos de US $ 20.

No verão passado, Jonny Hwang, 32 anos, um filho de imigrantes de Taiwan, criou o 626 Night Market. (Seu nome foi inspirado no CEP da região.) Mais de 15 mil fizeram fila na rua para entrar. "Isso surpreendeu a todos", disse Hwang. "De repente criamos uma comunidade e algo que até mesmo outras pessoas queriam."

Por Jennifer Medina

Leia tudo sobre: euaásiachinataiwancalifórnialos angeleslatinosreforma migratória

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas