Contrariando tradição, espanhóis questionam família real

Por NYT |

compartilhe

Tamanho do texto

Com frequência realeza é confrontada com novas acusações, algumas dirigidas ao rei, e aspectos da vida pessoal e financeira da família tornaram-se motivo de disputas

NYT

Durante décadas, os membros da família real da Espanha foram tratados com deferência profunda por parte do público, de políticos e meios de comunicação. Suas vidas privadas em geral não eram investigadas, seus paradeiros não eram declarados e as fontes da grande riqueza pessoal do rei Juan Carlos nunca foram discutidas, mesmo que ele tenha conquistado o trono quase sem dinheiro em 1975, após a morte do general Francisco Franco.

Promessa: Família real da Espanha promete mais transparência após escândalos

AP
O príncipe espanhol Felipe e a princesa Letizia chegam para participar de coroação do rei holandês Willem-Alexander, em Amsterdã (30/04)

Em 2011: Genro de rei da Espanha é acusado de fraude e corrupção

Mas os tempos mudaram para o rei e para o país. A Espanha está no meio de uma crise econômica e de identidade, depois de ter amarrado suas fortunas com a agora conturbada União Europeia. O rei de 75 anos está se tornando cada vez menos popular, e pesquisas sugeriram que sua saúde em declínio intensificou os pedidos para que ele abdicasse em favor do príncipe Felipe, seu filho de 45 anos.

Agora, políticos e jornalistas começam a investigar mais a fundo, e os tabus estão caindo. Quase toda semana, a família real parece ser confrontada com novos constrangimentos e acusações, algumas dirigidas ao rei, e quase todos os aspectos da vida pessoal e financeira da família tornaram-se motivo de disputas.

"O escudo protetor da família real simplesmente desapareceu", disse Carmen Enríquez, que escreveu vários livros a respeito da família real e serviu como correspondente real para a rede de televisão nacional da Espanha durante quase duas décadas. "Estamos em uma grave crise, em que os cidadãos que sofrem sentem-se no dever de saber onde cada centavo do dinheiro público é gasto, incluindo tudo o que é gasto pela monarquia."

Corinna: Suposta amante do rei espanhol recebia para beneficiar empresas no exterior

No início do mês passado, o principal partido da oposição socialista tomou medidas no Parlamento para, pela primeira vez, solicitar formalmente informações sobre as finanças pessoais do rei. O pedido abriu espaço para uma reportagem no jornal El Mundo que afirmou que Juan Carlos tinha escondido o dinheiro que herdou de seu pai em contas secretas em bancos suíços. A família real disse que analisará as acusações antes de emitir qualquer resposta.

Na segunda semana de abril, um livro que faz várias revindicações vergonhosas a respeito da história pessoal da princesa Letizia, esposa de Felipe, foi publicado. Ele esgotou imediatamente. O livro foi escrito por David Rocasolano, um primo da princesa que trabalhava como advogado dela.

A realeza não é o único alvo a estar sob maior escrutínio: quase nenhum partido político na Espanha tem sido poupado de um inquérito.

Indiscutivelmente, o mais prejudicial ocorreu para o primeiro-ministro Mariano Rajoy e seu Partido Popular, que é acusado de operar um fundo secreto para financiar campanhas. Quase todas as instituições de poder no país foram atingidas pela corrupção e pela desilusão popular.

Rajoy: Primeiro-ministro da Espanha rejeita acusações de corrupção

Ainda assim, a queda da popularidade da família real é provavelmente o exemplo mais marcante. Sua popularidade começou a perder forças em abril de 2012, quando o rei foi obrigado a fazer um pedido de desculpas altamente incomum depois de voltar de uma excursão a Botswana, África, para caçar elefantes, que chamou a atenção do público somente porque ele caiu e quebrou o quadril na viagem.

Reprimenda: Rei da Espanha é alvo de críticas por caçar elefantes na África

2012: Rei da Espanha pede desculpas por viagem para caçar elefantes

Um porta-voz da família real disse que estava bem consciente da queda na popularidade da monarquia e do próprio rei, mas também afirmou que a monarquia permanecia mais popular do que muitas outras instituições espanholas. O porta-voz sublinhou os esforços para tornar a casa real mais transparente, incluindo uma maior divulgação de suas finanças, que seria necessária sob uma lei mais ampla que o governo de Rajoy tenta aprovar no Parlamento.

Mas Enriquez, a ex-correspondente para a televisão espanhola, disse que na Espanha de hoje a família real pode ter tido pouca escolha: "A casa real tem começado a entender que não poderia ficar de fora de uma lei de transparência sem provocar um clamor público."

Por Raphael Minder

Leia tudo sobre: espanharei juan carlosmonarquia espanhola

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas