Medida que tolera combinação de cerveja e direção causa polêmica na Irlanda

Por NYT |

compartilhe

Tamanho do texto

Cidade de Kilgarvan votou para legalizar que seus motoristas dirijam embriagados; proposta visava permitir interação social entre idosos e reflete importância do álcool na vida na Irlanda

NYT

Situada à sombra da pitoresca cordilheira de montanhas de Macgillycuddy Reeks, no sul da Irlanda, e lar para três dos picos mais altos do país, Kilgarvan fica entre as cidades turísticas de Killarney e Kenmare e possui uma única rua, uma fileira de casas, uma loja, dois bares, uma igreja e um cemitério. No entanto, se tornou o centro de um frenesi da mídia internacional quando o conselho local votou para legalizar que seus motoristas dirijam embriagados.

Pelo menos foi assim que a notícia foi retratada. No entanto, o que o Conselho do Condado de Kerry fez de fato foi aprovar uma medida para que as pessoas que vivem em áreas rurais do país possam ter autorização para tomar algumas cervejas antes de dirigir de volta para casa.

Galeria de fotos: Obama bebe Guiness no Dia de St Patrick

NYT
Danny Healy-Rae, dono do pub que propôs lei para permitir que pessoas dirijam sob efeito de álcool

A medida foi proposta por Danny Healy-Rae, político e dono de um pub local, com o objetivo de abordar duas questões de uma só vez: o declínio da cultura de frequentar os pubs e o isolamento da vida rural, especialmente para os moradores mais idosos.

A medida de Healy-Rae solicitou que o ministro da Justiça permitisse que a polícia ficasse responsável pelo critério "de emitir licenças para pessoas que vivem em áreas rurais isoladas e permitir que dirijam de volta para casa de seu pub mais próximo depois de ter bebido dois ou três drinques em ruas pouco utilizadas e em velocidades muito baixas".

Janeiro: Rússia restringe venda de cerveja para combater alcoolismo

Ele argumentou que isso ajudaria a combater o sentimento de isolamento que muitos sentem e até mesmo diminuiria o risco de suicídio.

Rivais políticos, no entanto, classificaram a medida como um golpe populista sem sentido. Mas o fato de ter sido aprovada e ser ainda considerada como potencial conquistadora de votos diz muito a respeito da influência que o álcool exerce na vida irlandesa.

Um exemplo disso pôde ser visto no início de uma tarde recente de sábado na cidade, enquanto alguns dos rapazes desfrutavam de uma cerveja no pub da família Healy-Rae. A maioria estava disposta a falar sobre isso apenas anonimamente. Bares irlandeses rurais podem ser lugares onde a bebida incentiva o diálogo, mas também desperta uma suspeita inerente de forasteiros intrusos.

Saiba mais: Cervejas artesanais ganham espaço na África do Sul

John, um trabalhador da construção civil aposentado, que passou a maior parte de sua vida trabalhando na Inglaterra, nunca se casou novamente após a morte de sua esposa há mais de 30 anos. Seus filhos adultos residem na Inglaterra, e ele fica sozinho a maior parte do ano. Ele descreveu o pub como "uma ótima desculpa para sair de casa."

"Eu não bebo todos os dias, mas eu venho aqui para beber algumas cervejas e talvez encontrar alguns amigos e ouvir o que está acontecendo no mundo", disse.

Ele não teria nenhum problema em voltar dirigindo para sua casa após ter bebido algumas cervejas no pub, a não ser o receio de ser pego pela polícia e poder perder sua carta de motorista, que descreveu como sendo essencial para sua sobrevivência.

Amsterdã: 'Bicicletas da cerveja' ganham espaço no mundo

Como o pub fica muito longe para ir caminhando, ele conta com a carona de um vizinho que o leva para o pub e lhe traz de volta para casa depois.

Muitos bares na Irlanda foram modernizados e atualizados durante os anos para torná-los mais amigáveis às mulheres e para atrair clientes mais jovens, mas o Healy-Rae definitivamente não está entre eles. O balcão laminado baixo, o chão de pedra fria e os bancos com pés metálicos, altos são típicos de uma época em que tais lugares eram tipicamente dominado pelos homens.

Desde que a medida foi aprovada, o pub já recebeu equipes de filmagem de toda a Europa. Mas o Healy-Rae continua firme, apesar de uma avalanche de críticas de políticos do governo, autoridades de segurança rodoviária e mutos que perderam entes queridos para motoristas embriagados.

Em Ruanda: Esporte movido a cerveja e velocidade ganha espaço

"Eu não estou advogando em nome do tipo de pessoas que causam acidentes em nossas estradas", disse. ''Eu estou falando de pessoas, principalmente idosos, que vivem em lugares muito remotos e que vêm à cidade para fazer compras, desfrutar de algumas cervejas e bater papo com os amigos e depois ir para casa a menos de 40 km/h."

"Estes não são os causadores de acidentes. Qual é a alternativa para eles onde não há transporte público ou qualquer outro tipo de transporte disponível? Ficar em casa, olhando para as paredes?"

Poucos países têm uma identidade tão ligada ao álcool. A Guinness continua sendo um símbolo nacional, apesar de ser de propriedade de um conglomerado internacional, a Diageo. Sucessivos governos têm tentado combater o papel da bebida na vida social da Irlanda, enquanto oferecem um copo de cerveja escura para praticamente todos os estrangeiros que aterrissam no país.

Um relatório publicado recentemente por um economista da Universidade da Cidade de Dublin descobriu que o consumo global de álcool por volume caiu 20% na última década.

No entanto, comentaristas afirmam que isso simplesmente reflete uma população que está mais pobre e mais idosa em vez de mais sábia. Um relatório de abril de 2010 da Comissão Europeia em relação ao comportamento sobre o álcool descobriu que a Irlanda teve o maior número de alcóolatras entre os 15 países pesquisados, e não existem motivos para pensar que isso mudou desde então.

Por Douglas Dalby

Leia tudo sobre: irlandapubcervejabar

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas