Clientes e governo forçam restaurantes nos EUA a adotar cardápios saudáveis

Por NYT |

compartilhe

Tamanho do texto

Cadeias de restaurantes em todo o país introduzem opções nutritivas e diminuem o tamanho das porções servidas, o que tem sido bem visto por consumidores e proprietários

NYT

Impulsionados por pressões como a demanda dos consumidores e ameaças de regulamentos federais que os obrigam a informar sobre as calorias nos cardápios, cadeias de restaurantes de todo o país estão introduzindo opções mais nutritivas e diminuindo o tamanho das porções.

New York Times: Em campanha por comida saudável, Michelle Obama mira restaurantes

Saiba mais: Programa de merendas escolares tenta reduzir obesidade nos EUA

NYT
Jenn Downs, funcionáriad o Pita Pit, faz uma das opções saudáveis do restaurante em Henrietta, Nova York


As porções menores, que não necessariamente são mais baratas, são o primeiro passo para reverter a prática de colocar mais comida no prato do que o necessário em uma única refeição, uma tendência que começou há quase três décadas. Além de fazer uma contribuição para a saúde dos clientes, donos de restaurante estão descobrindo que esta mudança vale a pena financeiramente.

Saiba mais: Michelle Obama propõe substituição da pirâmide alimentar por um prato

O Sbarro, por exemplo, está oferecendo uma "fatia magra", com uma mistura diferente de queijos e vegetais a 270 calorias. A rede Longhorn Steakhouse tem pequenas porções de carne que se qualificam para entrar para o menu de 500 calorias ou menos.

"As calorias no cardápio fazem parte do processo de mudança, mas também as críticas à indústria por parte dos meios de comunicação e outros, incluindo clientes, que vem conduzindo essa transformação", disse Anita Jones-Mueller, nutricionista presidente e fundadora do Healthy Dining Finder, um site que ajuda os usuários a encontrarem restaurantes com opções saudáveis, utilizando a sua localização como base de pesquisa.

Personal trainer: Instrutor mantém equipe da Casa Branca em forma

Uma medida dessa mudança é o número de restaurantes com opções saudáveis listados em seu site, que aumentou mais de 2.000%, e muitos foram adicionados apenas nos últimos dois anos, segundo Jones-Mueller. "Os clientes realmente querem esses itens e por isso os restaurantes estão trabalhando para torná-los mais atraentes."

Hank Cardello, diretor da iniciativa de soluções de obesidade no Instituto Hudson, uma organização de pesquisas de política pública, tem estudado o impacto que as opções de menu de baixas calorias tem no negócio dos restaurantes. "Pratos de baixas calorias foram os principais responsáveis pelo crescimento dos restaurantes ao longo dos últimos anos, não há dúvida sobre isso", disse Cardello.

NYT
Restaurantes em Nova York oferecem opções saudáveis em seus cardápios

Os resultados de sua pesquisa foram publicados em 14 de fevereiro em um relatório financiado em parte pela Fundação Robert Wood Johnson.

O ato dos cuidados de saúde do governo de Obama, que foi aprovado em 2010, incluiu uma disposição que obriga restaurantes e estabelecimentos com 20 ou mais lojas a incluir a contagem de calorias de seus pratos em seus cardápios. Os regulamentos finais são esperados em breve e precisarão ser cumpridos até 2014.

Mais: Cerca de 30% da população de São Paulo é obesa, indica pesquisa

Israel: Comer gordura em ‘hora certa’ pode emagrecer, diz estudo

Algumas cadeias de restaurantes já começaram a publicar as calorias em seus menus. Depois de ler atentamente o menu de baixas calorias do Longhorn Steakhouse, Denise Garbinski, uma nutricionista de São Francisco, disse que as porções eram maiores do que as 113 gramas que ela normalmente recomenda, mas que este é "um passo na direção certa."

"O que eles estão tentando fazer é cortar o tamanho da porção e isso é brilhante", disse Garbinski. "Eu sempre digo às pessoas para pedirem um recipiente para viagem, em seguida, para que coloquem metade da refeição nele antes de comer, mas isso acaba tornando esse procedimento desnecessário."

Saúde: Educação física perde espaço em escolas nos Estados Unidos

Embora o movimento para mais ofertas em um cardápio nutricional dos restaurantes seja impulsionado por fatores externos, muitos estão descobrindo que cortar calorias, sódio, açúcar e gordura compensa financeiramente.

Mesmo assim, outros restaurantes estão encontrando maneiras de destacar as opções existentes em seus menus que oferecem uma refeição mais saudável, como o do Pita Pit. O menu ajuda os clientes que montam seus lanches a entender melhor como criar uma opção saudável, disse Jack Riggs, executivo-chefe da Pita Pit dos Estados Unidos.

"Quando os clientes começam a dizer que querem opções mais saudáveis - e estamos ouvindo isso - temos a obrigação de ajudá-los a mostrar o que isso significa no nosso restaurante e dar-lhes opções para que consigam exatamente isso", disse Riggs. "Isso é bom negócio."

Por Stephanie Strom

Leia tudo sobre: euarestaurantenova yorkobesidadesaúdecomidaalimentação

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas