Com menos tempo para votar, igrejas afro-americanas dobram seus esforços

Votação antecipada na Flórida pode ser decisiva para a vitória de Barack Obama

NYT |

NYT

O reverendo Eugene W. Diamond da Igreja Batista Abissínia em Jacksonville, Flórida, raramente presta atenção no tempo quando está realizando seu trabalho, mas no meio do sermão deste domingo, dia 28 de outubro, ele disse algo incomum para seu rebanho: "Temos pouco tempo, então vou me apressar. "

Saiba mais: Veja o especial do iG sobre as eleições nos EUA

NYT
Reverendo Eugene Diamond dá instruções aos fiéis sobre a votação antecipada em Jacksonville, na Flórida

Ele havia diminuído os minutos de adoração. Congregantes foram instruídos a usar sapatos confortáveis, pois todos eles tinham um trabalho a fazer: levar milhares de “almas” até as urnas e teriam apenas um domingo para fazer isso.

Diamond ressaltou a urgência no final de suas orações: "abençoai nossas vozes", ele gritou acima da música. "Vamos! Vamos! Vamos! Vamos!"

Em toda a Flórida, igrejas afro-americanas têm respondido com ferocidade a mudanças que o governador Rick Scott, um republicano, e o Legislativo fizeram para eliminar seis dias de votação no início deste ano - incluindo o domingo antes do dia da eleição, que sempre foi o dia tradicional para mobilizar congregações afro-americanas para votar.

Em 2008, os eleitores afro-americanos enviaram seus votos mais cedo que o dobro da taxa dos eleitores brancos, e compareceram em força significativa no domingo antes da eleição para ajudar a impulsionar a vitória do presidente Barack Obama no Estado da Flórida.

Na nova programação das eleições, a votação antecipada começou no sábado e continua até o próximo sábado. As igrejas, então, terão apenas um domingo ao invés de dois para poder incentivar seus membros para votarem.

NYT
Eleitores chegam ao local de votação do condado de Duval, na Flórida

Em Jacksonville, igrejas afro-americanas alistaram 40 ônibus e vans para levar pessoas que não possuem transporte para os locais de votação. Eles também disponibilizaram rodízios de carro, ofereceram café da manhã e almoço, e hospedaram comícios com música e participações de celebridades.

Nos distritos de regiões predominantemente afro-americanas, formaram-se filas fora das portas e em estacionamentos e nas calçadas. Uma espera de 40 minutos para votar não era incomum. No sábado, antes do supervisor das eleições abrir o principal local de votação do condado de Duval às 7h, uma fila de cerca de 100 eleitores, todos afro-americanos, já havia sido formada. Dentro de meia hora, a fila duplicou em comprimento.

"Eu acredito que todos achavam que Obama não teria o mesmo comício este ano, como da última vez, mas a Flórida acordou como um gigante adormecido que está mostrando o que pode fazer", disse Diamond. "Eu odeio ter que dizer isso, mas os republicanos provavelmente teriam se dado melhor se não tivessem alterado os prazos da votação antecipada".

Por Susan Saulny

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG