Moradores de Las Vegas sofrem com enxurrada de anúncios eleitorais

Famosa por excessos, cidade americana é campeã de propaganda, com 10 mil anúncios veiculados na TV por semana

NYT |

NYT

Ninguém vai para Las Vegas com a esperança de encontrar uma cidade moderada. Mas, ao ligar a televisão hoje em dia, é possível presenciar excessos que parecem demais até mesmo para esta cidade.

Mais comerciais políticos foram transmitidos nesta cidade do que em qualquer outro lugar, dando-lhe a distinção de ser o mercado de mídia mais saturado no ano mais caro da política americana. Quando a contagem passou de 73 mil comerciais exibidos, Las Vegas bateu o recorde como o lugar com a propaganda eleitoral mais televisionada em um único ano.

Saiba mais: Veja o especial do iG sobre eleições nos EUA

NYT
Anúncio de Romney passa em TV no lobby da emissora KSNV, em Las Vegas (12/10)


Com a probabilidade de os anúncios aumentarem ainda mais nas últimas três semanas da campanha, tanto em Las Vegas quanto em outros Estados decisivos, esta eleição está superando a de 2008, tanto no volume de anúncios quanto no dinheiro gasto.

Especialistas em comunicação estimam que US$ 2,5 bilhões foram gastos em todo o país com propaganda eleitoral em 2008 e que este ano o total pode aumentar em um terço, chegando até US$ 3,3 bilhões.

Comerciais estão sendo bombardeados nos moradores da cidade a uma frequência de 10 mil por semana. Pelo menos 98 anúncios diferentes estão em rotação, patrocinados pelos super PACs, vários comitês democratas e republicanos, candidatos do Congresso, candidatos locais e, claro, o presidente Barack Obama e seu rival, Mitt Romney.

Emissoras locais estão diminuindo a duração de seus programas de notícias para acomodar os anúncios. Vagas para anunciantes durante muitos shows populares como "Saturday Night Live" estão esgotadas até o dia da eleição.

Las Vegas encontra-se em tal ponto de desespero que muitos anseiam pela volta dos dias em que os comerciais de advogados de danos pessoais e lojas de móveis anunciando promoções dominavam o espaço para anunciantes durante o noticiário local.

"Eu odeio, odeio, odeio", disse Debbie Markland, 62, uma garçonete de um cassino no centro da cidade, que agora coloca a televisão no mudo durante o intervalo comercial. "Não vejo a hora desta eleição acabar."

Las Vegas é o centro de um frenesi de publicidade que tem tomado conta do país. Ondas de anúncios também estão atravancando ondas de rádio em Estados como Dakota do Norte, Montana e Nebraska, onde os candidatos presidenciais ainda nem sequer estiveram pessoalmente.

Uma questão que se torna cada vez mais presente à medida que todo esse dinheiro é gasto é a de se os eleitores estão realmente sendo influenciados pelos anúncios, especialmente quando muitos disseram que estas propagandas são insignificantes.

Estudiosos que analisaram o impacto dos anúncios da campanha descobriram que para as disputas relacionadas a cadeiras na Câmara em que o reconhecimento do nome, muitas vezes os anúncios fazem toda a diferença. Mas, para os candidatos presidenciais, não.

Por Jeremy W. Peters

    Leia tudo sobre: eleição nos euaeuaobamaromney

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG