Centro de meditação nos EUA celebra histórico, mas tem futuro questionado

Ex-membros dizem que Instituto Esalen, na Califórnia, está perdendo relevância diante do clichê da autoajuda; nomeação de fundador de hotel boutique como curador alimenta críticas

NYT |

NYT

No crepúsculo, não muito longe de um penhasco com vista para o Oceano Pacífico, um xamã maia falava sobre o retorno de Kukulkan (o Deus serpente) para dezenas de ouvintes sentados no chão dentro de uma cabana: enquanto Vênus, um planeta de especial importância para os antigos maias, passava diretamente entre o Sol e a Terra, em junho, as forças presentes ao nosso redor anunciavam o retorno de Kukulkan e o início de uma nova era de iluminação espiritual em 2012.

NYT
Casa de banho do Esalen tem vista para o Oceano Pacífico

"O cosmos está falando conosco. Precisamos ouvi-lo", disse o xamã Miguel Angel Vergara.

Vergara em breve levaria seus ouvintes para fazer exercícios de respiração e praticar cantos em homenagem a Kukulkan, como parte de um workshop de ioga e rituais maias de uma semana de duração no Instituto Esalen, o maravilhoso retiro espiritual localizado na região de Big Sur, na Califórnia.

Escondido ao longo de um trecho extraordinariamente cênico da costa da Califórnia, com apenas uma pequena placa alertando os motoristas de sua existência ao longo da estrada 1, Esalen ajudou a trazer conceitos e práticas esquecidas, incluindo o crescimento pessoal, a ioga e os alimentos orgânicos para a população americana, em seus workshops que celebram a união entre mente e corpo.

Leia também:  Em Nova York, 'galeria do corpo' promete cobiçados músculos em forma

Recentemente, enquanto o retiro se preparava para comemorar seu 50º aniversário em setembro, as pessoas ainda faziam peregrinações para a região.

Mas outros, incluindo pessoas que foram membros e alguns que ainda são associados do Esalen, disseram que o lugar está perdendo sua relevância em uma cultura em que a autoajuda se tornou um clichê.

50 anos

O aniversário de meio século do retiro coincidiu com os protestos contínuos sobre a demissão de funcionários que trabalhavam no local desde sua inauguração, como parte de uma reestruturação da gestão. Os funcionários e outros se reuniram em círculos de silêncio no local. Na internet, um site chamado Esaleaks e outros manifestantes atacaram a nova gestão do Esalen como gananciosos empenhados em transformar o retiro em um resort de boutique.

NYT
Janelle Boyer participa de workshop no Instituto Esalen, em Big Sur, Califórnia

Nos últimos anos, o Esalen tem balanceado sua missão e visão de acordo com um levantamento de dados realizado por seus administradores, disse Gordon Wheeler, um psicólogo seguidor da gestalt e presidente do centro.

Parte do levantamento, ele disse, incluiu a melhoria da gestão do Esalen, uma organização sem fins lucrativos. Um novo centro em Carmel, a cerca de 60 quilômetros da estrada 1, fornece serviços não encontrados neste atual centro, incluindo internet rápida e boa cobertura de celular. As recentes demissões de funcionários de longa data, disse ele, foram particularmente difíceis porque muitos funcionários também vivem dentro do composto de Esalen.

Mas muitos dos críticos disseram que a nova mudança na administração apenas aponta para um corporativismo crescente. Disseram que o fato de alguns administradores do centro de Carmel passarem boa parte da semana no local tem enfraquecido o senso de comunidade. De acordo com alguns críticos, a recente nomeação de um fundador de um hotel boutique para o painel de curadores de Esalen, reflete a crescente ênfase em pacotes para visitar o local feitos para se ganhar dinheiro.

NYT
Área externa para massagem no Instituto Esalen, na Califórnia

*Por Norimitsu Onishi

    Leia tudo sobre: esalenmeditaçãocalifórniaeuaiogaautoajuda

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG