Problemas no transporte aéreo levam mais americanos a optar por trens

Cansados de procedimentos de segurança e atrasos, passageiros migram para a Amtrak, que agora domina o mercado Nova York-Washington

NYT |

NYT

Durante muito tempo este serviço foi desconsiderado pelos viajantes da região Nordeste dos Estados Unidos, mas hoje a companhia de trem Amtrak está dominando a frequência de viagens comerciais que fazem conexão entre as cidades de Washington, Nova York e Boston. Neste verão (inverno no Brasil), seus trens estão lotados.

Há uma década, os voos da Delta Airlines e US Airways eram a forma preferida de se transitar entre as cidades. Mas as tarifas elevadas, o lento procedimento de segurança dos aeroportos e os atrasos frequentes desagradam os viajantes, conquistados por trens de alta velocidade Acela da Amtrak, além de passagens que podem ser emitidas online.

Leia também: Companhias aéreas dos EUA perdem menos bagagens

NYT
Trem da Amtrak passa pela ponte Hell Gate, em direção a Nova York, nos EUA (06/08)

Segundo a Amtrak, 75% dos passageiros que viajam entre Nova York e Washington usam trem. Uma grande parte destes clientes apareceu desde que o modelo Acela foi introduzido em 2000 e a segurança dos aeroportos foi reforçada depois de 2001. Antes, a Amtrak tinha apenas cerca de um terço do negócio entre Nova York e Washington. Nacionalmente, o número de passageiros da Amtrak bateu seu recorde com 30 milhões de pessoas.

"No trem, você tem tomadas para ligar aparelhos elétricos e wi-fi, pode falar ao telefone e otimizar seu tempo", disse George Hamlin, um escritor e consultor de aviação aérea que frequentemente viaja com a Amtrak entre Washington e Nova York. "Até eu tenho de reconhecer isso."

Mas o sucesso vem com certos pontos negativos. Na maioria dos dias, os trens no trecho nordeste estão cheios. Várias locomotivas e vagões tem 30 anos de idade ou mais. Os trilhos, pontes e túneis velhos impedem que os trens maximizem sua capacidade de percorrer um trajeto em maior velocidade e limitam a expansão da rede. No mês passado, a Amtrak anunciou uma proposta de US$ 151 bilhões para acelerar seus trens e reformar as pontes e trilhos. Mas os conservadores no Congresso não concordam com a proposta pois dizem que ferrovias subsidiadas pelo governo não funcionam e deveriam ser privatizadas.

Muitos dos passageiros do trecho nordeste disseram que as filas nos procedimentos de segurança nos aeroportos e os possíveis atrasos devido a más condições metereológicas fizeram com que escolhessem viajar com a Amtrak.

Recentemente Peter G. Mirijanian, um consultor de relações públicas de Washington que normalmente viaja com a Amtrak, resolveu ir de avião para uma reunião em Nova York.

"Entrei no avião e o voo atrasou duas horas devido a más condições do tempo", disse Mirijanian, descrevendo sua viagem, “Acabei perdendo a reunião. Liguei para avisar que não ia conseguir chegar a tempo para participar da reunião e a primeira coisa que me disseram foi: 'É por isso que você deveria ter vindo de trem. "

Por Ron Nixon

    Leia tudo sobre: euanova yorktrensaeroportostransportessegurança aéreaamtrak

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG