No subterrâneo, clube de comédia ainda é referência em Nova York

Comedy Cellar guarda passado marcado por nomes como Anthony Jeselnik, Tom Rhodes e invade o presente com nostalgia

NYT |

NYT

Toda vez que eu subo as escadas do metrô da Rua Quatro a caminho do Comedy Cellar, eu pulo de uma perna para a outra, da mesma maneira que Louis CK fazia durante a introdução de sua série em um movimento que ficou conhecido como "Louie shuffle". Quando chego na rua, olho ao redor e as primeiras coisas que vejo são fantasmas.

14 anos depois: Seinfeld volta a fazer shows de stand-up em Nova York

À minha esquerda fica o velho Teatro Waverly, onde o público faz fila para as sessões da meia-noite para assistir filmes como "Noite dos Mortos Vivos". Caminhando pelo beco Minetta, eu vejo a placa do Cafe Wha?, o local onde Bob Dylan fez seu show de estreia em Nova York. Mas apenas quando eu chego à esquina do corredor escuro do Comedy Cellar é que o passado toma conta do presente.

NYT
Corredor do Comedy Cellar, em Nova York, é espécie de túnel do tempo da casa

Isso acontece porque esse estreito espaço, onde o público se reúne no clube de comédia da velha guarda mais célebre da cidade de Nova York, tem uma aparência solene, mesmo que não o seja. Fotografias antigas ficam expostas nas paredes pintadas de um verde pálido.

O que é interessante sobre essa cripta da comédia, especialmente para alguém como eu, que escreve sobre essa linha de trabalho, é que todos os comediantes assinaram suas fotos. Eles frequentemente agradecem o ex-proprietário do clube, Manny Dworman (seu filho, Noam, é o atual dono), e sua temida agente de eventos, Estee Adoran.

Imagine como deve ser intimidante escrever uma piada nas paredes, onde permanecerá por décadas, competindo com todas as outras piadas em volta. Muitos nem se aventuraram a escrever nada além de agradecimentos.

"Obrigado por serem minha família", escreveu o comediante Anthony Jeselnik. Alguns expressam agradecimentos mais sérios, mas deixam a dica de histórias não contadas. O reverenciado Mitch Hedberg, que morreu em 2005, escreveu: "Para Estee, De Mitch. Obrigado por ser minha amiga."

Muitos comediantes conseguem deixar registrado uma parte de sua sensibilidade em palavras engraçadas. Todd Barry, que possui um estilo arrogante e cômico de contar suas piadas, escreveu: "Para Estee e Manny, eu lhes deixo ficar com este autógrafo." Louis CK escreveu: "Eu vou odiar olhar para esta foto o tempo inteiro. Por favor, tire ela da parede quando eu morrer." A comediante Sarah Silverman escreveu: "Caro Comedy Cellar: Estou grávida. O filho é seu. Com amor, Sarah."

No ano passado Adoran redecorou as paredes, acrescentando muitos novos comediantes. Em um episódio de "Louie" no ano passado - o show está em sua terceira temporada – dá para ver a parede antiga do Comedy Cellar, onde as fotos estão mais espalhadas. Agora elas fazem parte do que parece um papel de parede no corredor. Existem algumas fotos que causam uma certa curiosidade (o que é que a foto do cantor John Mayer, que se interessou em fazer stand-up, está fazendo lá?), estrelas emergentes como Marina Franklin e veteranos populares como Dane Cook e Bill Burr.

A única foto não autografada que eu vi foi uma de Roseanne Barr. Algumas omissões não são intencionais. A ausência do comediante Marc Maron na parede é um descuido que Adoran diz que irá consertar. Outros, como Nikki Glaser, não estão lá por um motivo mais profundo: aparentemente Glaser ainda está tentando escolher uma foto de que goste.

No final do corredor à esquerda estão mais algumas fotos penduradas bem diante da porta do teatro. Seis comediantes históricos tem suas fotos em um lugar privilegiado, atrás de um painel de vidro. Fotos de bebê do comediante Jon Stewart, Colin Quinn, Dave Chappelle, Darrell Hammond e Ray Romano ficam olhando para os comediantes antes de entrarem no palco. Wanda Sykes-Hall (que se divorciou e abandonou a segunda metade de seu sobrenome) foi adicionada em algum momento da história. Adoran diz que eles estão lá porque estes foram os primeiros comediantes do lugar "que acabaram se tornando bastante populares e famosos."

NYT
Público chega para o espetáculo de sábado do Comedy Cellar

Em frente das seis estrelas encontram-se uma foto de Andy Kaufman e três fotos espontâneas de Robin Williams fazendo uma apresentação em 1980, bem no início das apresentações de comediantes no clube. O fato de Williams ter se apresentado lá ajudou na popularidade do lugar. Hoje, o Comedy Cellar recebe comediantes famosos em seus palcos o tempo inteiro, mas é um lembrete de que esse corredor se trata tanto sobre sua história quanto de seu presente.

De todas as fotografias, a minha predileta é a de Tom Rhodes, o primeiro comediante a assinar um contrato com a rede de televisão Comedy Central. O que ele deixou escrito na parede conseguiu capturar o que faz do local um destino tão querido.

"Obrigado por ser o clube bacana e esfumaçado em que eu tanto sonhava em me apresentar quando criança”, escreveu.

*Por Jason Zinoman

    Leia tudo sobre: nova yorkeuacomédiastand-upcomediantesclubesubterrâneo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG