Cantando rock, vovós russas fazem sucesso na Europa

Em Buranovo, trupe de mulheres conhecida como Babushki Buranovskiye ganha fama com shows e impulsiona melhorias na vila russa, como reconstrução da histórica igreja local

The New York Times |

Durante anos, Buranovo viveu à beira do esquecimento como uma das muitas vilas rurais russas deixadas para trás pelo crescimento econômico impulsionado pelo petróleo que revitalizou algumas cidades soviéticas e atraiu os jovens para longe das fazendas que haviam sustentado seus pais.

Nova lei: Câmara russa aprova projeto que classifica ONGs de 'agentes estrangeiros'

Em lugares como esse, fazendas coletivas costumam ir à falência, casas de madeira apodrecem e são derrubadas, estradas se transformam em barrancos lamacentos e lojas recebem a maior parte de seus lucros da venda de vodca. Romper esse ciclo de declínio é considerado difícil, quando não impossível.

NYT
Senhoras russas que fazem parte do grupo Babushki Buranovskiye, em Buranovo, na Rússia

Mas Buranovo, uma vila de 300 anos de idade, está provando ser uma exceção por um dos motivos mais improváveis: uma trupe de oito mulheres locais, muitos delas já de idade, conhecidas como as Babushki Buranovskiye (ou Avós de Buranovo), que cantaram durante um evento de música pop bastante conhecido na Europa, o Eurovision, e ficaram instantaneamente famosas.

A avó de mais idade, com 86 anos, ficou em segundo lugar no concurso anual, que coloca artistas de países europeus uns contra os outros durante a primavera local e é acompanhado por todo o continente.

As damas em trajes tradicionais e lenços fizeram uma performance digna de ser chamada de "rock'n'roll", que fez com que o mundo risse delas, enquanto sorriam maliciosamente e dançavam pelo palco cantando uma versão de uma música bastante conhecida enquanto tentavam animar a plateia:

“É hora de festejar. Todo mundo dançando, vamos lá! Vamos festejar! Vamos dançar! Vamos festejar e boom boom!''

Um vídeo da apresentação se tornou um sucesso na internet, somando ainda mais fãs aos 100 milhões de telespectadores que presenciaram seu espetáculo.

Agora, a boa sorte dessas mulheres não está apenas transformando suas vidas, mas também a vila de Buranovo. Para mostrar sua gratidão ao grupo, o governo local está construindo um novo sistema de água e esgoto na cidade, melhorando a iluminação pública e instalando internet de alta velocidade na única escola da vila, além de pavimentar as estradas principais.

"Deus havia se esquecido deste lugar até as avós cantarem", disse Aleksandr Malkov, enquanto observava caminhões transitarem pelas ruas carregando tubulações para o novo sistema de água e esgoto.

É difícil exagerar o impacto de tais melhorias.

Olga Tyurikova, uma vizinha que alimentou uma das galinhas das avós durante o concurso Eurovision, disse que o grupo salvou a vila. "Se não fosse pelas avós, ninguém jamais teria notado que não havia água em Buranovo", disse. A maior parte da aldeia nunca teve água corrente.

Tudo começou com um milagre, disse Olga N. Tuktareva, a principal cantora do grupo, que tem 43 anos e, na verdade, nem avó é ainda.

Início

Tuktareva lembrou de passear pela vila com uma amiga em 2008 enquanto lamentava um triste episódio na história local: a destruição da Igreja da Santíssima Trindade, demolida como inúmeras outras igrejas durante o governo de Stalin.

Durante essa caminhada, Tuktareva disse que seu celular tocou. Era um produtor musical em Moscou, que havia ouvido falar das avós cantoras - elas cantavam normalmente em bares locais - e tinha uma proposta para elas: se o grupo não cantaria a música do Queen "We Are the Champions" em sua língua nativa, o udmurt, para uma plateia de executivos do petróleo em Moscou, o produtor lhes daria uma boa recompensa por seu trabalho.

"Eu pensei, 'Isso é meio estranho", "disse Tuktareva. "Eu tinha acabado de falar que era impossível reconstruir a igreja, e logo em seguida meu celular tocou. Isto não poderia acontecer à toa. "Depois disso, o grupo ganhou uma certa fama ao cantar canções dos Beatles, Deep Purple e Eagles em Udmurt. As mulheres, que tiveram de esconder suas crenças na era soviética, criaram um fundo para reconstruir a igreja.

As avós competiram para representar a Rússia no Eurovision em 2010, mas, como ainda não tinham uma forte identidade como uma banda de rock, não foram selecionadas. Elas concorreram com uma música chamada "Como transformar casca de bétula em chapéu".

Como a canção ficou chocha, elas perceberam a necessidade de serem mais engraçadas e usarem mais o inglês. Elas cantaram "Party for Everybody", música com letra de Tuktareva em udmurte e de Mary Susan Applegate, letrista do Modern Talking e outros grupos de música pop, em inglês.

Enquanto as mulheres estavam em Baku, no Azerbaijão, participando do concurso deste ano, as obras da construção da igreja que financiaram tiveram início. Quando voltaram - escoltadas por um comboio da polícia -, o amontoado de aço e concreto as aguardava.

"Nós rezamos e choramos", contou Tuktareva.

NYT
Vovós russas cantam música ‘Party for Everybody’ no Azerbaijão, antes do festival Eurovision (25/5)

Natalia Y. Pugachyova, uma das duas integrantes do grupo batizadas na original Igreja da Santíssima Trindade, nos anos 30, trabalhou em uma fazenda de porcos durante décadas antes de ficar famosa. "A vida era assim", disse.

As integrantes não ganharam nenhum dinheiro diretamente do concurso, tanto para o seu fundo da igreja quanto para si mesmas. Mas ganham consideravelmente com seus shows. De volta à vila, a fama está mudando suas vidas: depois do Eurosvision, escolas de outras vilas ao redor de Buranovo estão mandando crianças em passeios escolares para visitar as suas casas.

As vovós afirmaram ter mantido a religião em segredo a vida toda, mas nunca esperavam que a igreja fosse reconstruída.

"Eu tinha a visão de que algo mudaria em nossa vila", declarou Alevtina Begisheva, 60 anos, uma das cantoras. "Contudo, nunca imaginei que teríamos nossa igreja de volta dessa forma."

*Por Andrew E. Kramer

    Leia tudo sobre: rússiaavósvovósrock n' rollbabshukibabushkaburanovoeurovision

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG