Praia de nudismo causa polêmica em Wisconsin, nos EUA

Reputação de banhistas da Mazo Beach, no Rio Wisconsin, ficou abalada depois de denúncias sobre uso de drogas e episódios de crimes sexuais

The New York Times |

O interior dos Estados Unidos não é um dos cenários mais comuns para uma praia de nudismo. Seus verões curtos e enxames de mosquitos dificilmente são a melhor combinação para um paraíso ao ar livre.

Espanha: Academia oferece musculação para clientes nus

Eleição nos EUA: Estado de Wisconsin é possível trunfo para Obama nas urnas

Mas mesmo assim, durante décadas, nudistas têm frequentado a Mazo Beach, um recanto escondido à beira do Rio Wisconsin, cerca de 50 quilômetros ao noroeste de Madison. Com cerca de 70 mil visitantes por ano, a praia, que é propriedade do Estado, tornou-se uma das maiores praias de nudismo não localizada no litoral no país e isso de certa maneira incomoda manifestantes, políticos conservadores e vizinhos desconfiados.

NYT
Jim Dickley e Claudette Richard sempre freqüentaram a praia de nudismo do Rio Wisconsin

"Nós tomamos muito cuidado em alertar nossas crianças e grupos de escoteiros sobre o local", disse Scott Teuber, proprietário de uma locadora de caiaques e canoas na cidade de Sauk, que fala para seus clientes ficarem do outro lado do rio quando estiverem remando perto da região da praia.

Recentemente os banhistas ficaram bastante preocupados com suas reputações depois que relatórios de ofensas relacionadas a crimes sexuais levaram o Departamento de Recursos Naturais de Wisconsin a anunciar que iria fechar o acesso do público a 27 hectares de floresta ao redor da praia, em um esforço para conter a prática de atos sexuais na floresta.

Alguns nudistas - que se intitulam "naturistas" - têm medo de que tal conduta possa atrapalhar os anos em que cooperaram com o Estado e colocar seu status em perigo. "Se certas pessoas não estão se comportando exemplarmente, nós realmente gostaríamos que parassem de agir assim", disse Nicky Hoffman, diretor da Sociedade Naturista, uma organização nudista com base em Oshkosh, Wisconsin. "Eles acabam estragando tudo para todos."

O Estado vem tentando acabar com o uso de drogas e a prática do sexo na Mazo Beach, um problema que aumentou em meados dos anos 90 à medida que mais pessoas ficaram sabendo sobre a praia através da internet, de acordo com Jeremy Plautz, diretor de conservação do Estado.

Toque de recolher

Em 1999, o Departamento de Recursos Naturais expulsou pessoas que viviam em barracas na praia e estabeleceram um toque de recolher: os horários da praia foram fixados das 6h às 20h. Também instalaram um estacionamento no parque e um portão no topo de uma estrada de cascalho que conduz até o rio, obrigando os visitantes a irem à pé ou de bicicleta cerca de 2 quilômetros antes que possam se despir na praia.

Mas isso não foi o suficiente para alguns daqueles que se opuseram aos nudistas. Um pastor liderou alguns protestos no estacionamento da praia. Legisladores republicanos tentaram proibir a nudez em terrenos que pertencem ao Estado, mas os esforços fracassaram.

Embora em Wisconsin seja considerado um pequeno crime "expor seus genitais em público", diversos oficiais estaduais e municipais afirmaram que a mera nudez não é suficiente para justificar a acusação na Mazo Beach, a menos que haja algum tipo de comportamento desordenado ou ofensivo .

Esse ano não foi a primeira vez que o Estado teve de fechar a região da floresta perto da praia para separar os ofensores dos nudistas. Em 2007, o Estado fechou 5 hectares de mata. Agora, com problemas persistentes, acrescentaram dois guardas e aumentaram o número das patrulhas na praia depois que o aumento no número de ofensas indicou que o problema não estava diminuindo.

Citando uma carga de trabalho intensa e uma pequena equipe, Plautz disse que a Mazo Beach foi patrulhada apenas 32 vezes desde 2007 a 2011. Mesmo assim, só no ano passado, a agência prendeu 42 pessoas por posse de drogas e atividades sexuais em apenas nove dias de patrulhamento da região, um número muito maior do que as 15 prisões que ocorreram num período de seis dias em 2010. Houve pelo menos seis citações até agora este ano.

Mesmo com a popularidade crescente de resorts e cruzeiros, ficou mais difícil encontrar praias de nudismo em terras públicas nos Estados Unidos nos últimos 20 anos, algumas pessoas estão frequentando praias de nudismo em lugares como Nova Jersey, Califórnia, Flórida e Havaí . Nesses casos, o comportamento lascivo é frequentemente citado, disse Bob Morton, diretor-executivo do Comitê de Ação Naturistas do Texas, o ramo legal da Sociedade Naturistas. "Essa é a desculpa que as autoridades têm usado, seja verdade ou não", disse ele.

NYT
Freqüentadores da Mazo Beach se banham no Rio Wisconsin

Embora o Estado não tenha ameaçado fechar Mazo Beach, alguns de seus visitantes se preocupam com o que irá acontecer caso fechem a praia. Em uma sexta-feira recente, pais com crianças e banhistas exaltaram a liberdade e nostalgia de frequentar uma praia de nudismo e a alegria de se conectar com a natureza.

Claudette Richards, 58 anos, sempre frequentou Mazo Beach , disse que era um lugar onde ela havia conseguido aceitar seu corpo, inclusive depois que ela teve de fazer uma mastectomia. "É um lugar onde eu consigo ser quem eu sou", disse ela, sentada na areia, com as cicatrizes de sua cirurgia expostas ao ar livre.

*Por Steven Yaccino

    Leia tudo sobre: euanudismopraiapraia de nudismowisconsinrio wisconsinmazo beach

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG