Novas cervejarias explodem e tomam conta de Londres

Tendência que teve início em 2009 proporciona a turistas curiosos em busca de novos sabores conhecer diferentes cantos da capital britânica

The New York Times |

No meio do meu primeiro pint de Nightwatchman - uma cerveja com malte levemente torrado da cervejaria East London Brewing Co. - o barman trocou o LP da banda Little Willie pelo disco do cantor de blues Lightnin’ Hopkins. Eu abri um pacote de torresmo e absorvi o ambiente em uma tarde comum em um pub tipicamente britânico: um balcão de madeira com 10 diferentes opções de cervejas locais tiradas na pressão, que até então eram desconhecidas para mim, seguidas por oito sidras das quais eu nunca tinha ouvido falar.

Pub móvel: Populares em Amsterdã, 'bicicletas da cerveja' ganham espaço no mundo

No ambiente levemente iluminado, os locais liam seus jornais ou conversavam baixo acompanhados de suas bebidas da mesma maneira que eu imagino que os londrinos fazem há séculos e eu achei muito fácil começar uma conversa com um senhor que estava sentado ao meu lado.

NYT
Barman tira chope especial na Camden Town Brewery's, aberta recentemente em Londres

O que foi mais difícil de entender, no entanto, é o que ele me disse: que o bonito pub Southampton Arms, localizado no bairro londrino de Gospel Oak, não tinha realmente feito parte da cultura de pubs londrinos desde do início dos tempos. Na verdade, a atmosfera rarefeita (e sua lista de cervejas) nasceram em 2009, parte de uma explosão da cultura cervejeira na capital britânica durante os últimos anos.

"Eu suspeito que é o momento mais emocionante para se estar bebendo cerveja em Londres desde os anos 70", disse Des de Moor, autor de “The CAMRA Guide to London’s Best Beer, Pubs & Bars" (O Guia CAMRA Para as Melhores Cervejas, Pubs e Bares de Londres, em tradução livre ), quando eu o conheci bebendo uma cerveja no dia seguinte.

Tendência

De fato, Londres está experimentando um renascimento de cervejas artesanais tão notável que o ato de acompanhar estas mudanças está virando um trabalho de tempo integral para os conhecedores, como de Moor, que regularmente atualiza seu site com suas novas descobertas. Apesar de sua história como o lar de muitos dos estilos de cerveja mais amados do mundo - IPA, Porter, Ale, Stout Brown Ale e Imperial Russian Stout são todas daqui – a cultura londrina de cerveja sofreu com várias décadas de declínio, resultando em apenas sete cervejarias funcionando até meados de 2006, de acordo com Moor.

NYT
Clientes de cervejaria aberta recetemente em Londres

Mas hoje, o número de cervejarias triplicou, com novas ales e lagers que apareceram de cervejarias como a Camden Town Brewery, que foi aberta em 2010, e a East London Brewing Co., que é de 2011. Além disso, uma nova geração de pubs e bares facilitaram para que os amantes da cerveja pudessem provar os sabores locais e conversar com os nativos.

Curioso sobre essas mudanças, coloquei crédito em um cartão de transporte público chamado Oyster e fui em busca da nova cena cervejeira que um fim de semana poderia me providenciar. Logo aprendi que essa busca poderia levar um viajante curioso para quase todos os cantos de Londres e a amplitude da cidade e a expansão significava que eu teria que limitar a minha viagem para alguns locais principais.

"A cena cresceu muito, é incrível", disse James Turner, gerente do Euston Tap, um bar de um ano e meio de vida em um edifício de pedra histórica perto da Estação de Euston, onde havia uma multidão jovem e agitada quando cheguei para um último half pint (copo de 250 ml) ao fim do meu primeiro dia. "Ela costumava ser a pior cidade da cerveja na Grã-Bretanha", acrescentou, "agora é a melhor".

Apesar das tradições cervejeiras de Londres, a atual cena cervejeira pode ser surpreendentemente aberta, como mostrada pela lista de cervejas de Euston Tap, onde a cerveja Modus Hoperandi da cervejaria do Colorado Ska Brewing e outras grandes importações americanas foram pareadas por cervejarias locais, como a Big Chief IPA da cervejaria Redemption Brewing no norte de Londres, que oferece um intenso sabor de lúpulo e frutas tropicais que surpreenderia os fãs dos sabores britânicos que normalmente são mais tradicionais e mais fortes.

A 20 minutos de viagem de metrô ao norte da Estação de Euston, eu encontrei quase o oposto na estilosa cervejaria Camden Town Brewery, que abriu suas portas recentemente. Lá, o foco parecia ser a elegância continental, com a cerveja de baixa fermentação chamada Hells Lager, a antítese das cervejas de alta fermentação da Grã-Bretanha, normalmente envelhecidas em tonéis, mas que constitui cerca de 60 % das vendas crescentes da cervejaria. Uma variação com mais lúpulo, a USA Hells parecia combinar as duas tendências, trazendo um pouco do estilo das lagers alemãs com pungentes toques do estilo americano que é mais repleto de lúpulo.

No dia seguinte, acompanhado por uma Pale Ale, contei algumas das minhas descobertas a Des de Moor, em uma das cervejarias mais novas da cidade, a Kernel. De Moor observou que até mesmo as marcas mais estabelecidas da cidade, como a Fuller, fundada no subúrbio de Chiswick ao Oeste de Londres em 1845, também estão tentando melhorar a qualidade de sua cerveja.

"Ao invés de ficarem satisfeitos com suas cervejas já estabelecidas, eles também estão tentando inovar”, disse Moor, mencionando as anuais Vintage Ales, a Brewer’s Reserve e sua nova série Past Masters, que utiliza receitas históricas dos arquivos da cervejaria e destaques particulares. "Eles realmente se adaptaram aos tempos de hoje."

NYT
Bar Southampton Arms, em Londres

Os tempos estão mudando tão rapidamente que o site da Aliança dos Mestres Cervejeiros de Londres, um grupo comercial formado em 2010, foi ao ar apenas durante a primavera, acompanhado pelo também novo site London City of Beer, que lista os festivais, degustações e outros eventos. Novos bares e pubs, como o excelente Mason & Taylor, que abriu em Bethnal Green em 2010, e o atmosférico Craft Beer Co., que abriu em Clerkenwell em meados de 2011, continuam aparecendo. E mais cervejarias estão para serem abertas em breve.

"Eu acredito que hoje temos 22 cervejarias, e até o final do ano eu sei de mais três ou quatro que irão abrir", disse Moor.

Zonas diferentes

Embora muitos dos melhores locais para se tomar uma boa cerveja estejam no centro de Londres, algumas atrações estão em locais bem mais remotos. Uma das novas cervejarias, a Brodie, oferece quartos de hóspedes em seu pub no local, o King William 4, que me deu a oportunidade de passar minha última noite em uma parte da cidade que eu nunca pensei visitar: Leyton, ao nordeste de Londres, não muito longe do Parque Olímpico.

A viagem saindo da estação de trem mostrou a diversidade cultural da capital moderna, passando por restaurantes paquistaneses, boates russas e mercearias ganenses. Quando cheguei, encontrei um prédio de tijolos que parecia ter saído de uma história do autor Arthur Conan Doyle, com uma faixa branca e uma silhueta alta que se destacava corajosamente contra o céu nublado.

No interior, grandes espelhos do tamanho de mesas anunciavam "Pale e Burton Ales" da extinta cervejaria Truman, Hanbury, Buxton & Co., um ícone da cena cervejeira do leste de Londres por mais de três séculos, até seu fechamento 25 anos atrás. Os jovens jogavam dardos em um canto, enquanto casais e pequenos grupos bebiam seus pints em banquetas almofadadas. Uma mulher sentava-se atrás de um piano antigo, cantando à la honky-tonk, enquanto a multidão conversava e lia, utilizando o espaço como uma espécie de sala de estar pública.

NYT
Tendência de novas cervejarias impulsionou melhora de qualidade de antigas marcas no Reino Unido

Atrás de um bar esculpido em madeira que poderia facilmente ter acomodado 15 homens, um barman solitário servia as bebidas. Ao sentar-me no bar, pedi um pint de uma clássica Bitter britânica, leve o suficiente para consumir durante uma noite sem sentir muito seu efeito no dia seguinte. Embora seus 3,1% de teor alcoólico estivessem de acordo com a tradição, essa versão continha citra, um lúpulo americano que apareceu somente em 2007, e cada gole estava repleto de toques de manga e limão - sabores típicos da mais aventureira das cervejas artesanais contemporâneas.

O peixe e batatas fritas que eu pedi como acompanhamento provou ser tão maravilhoso e delicioso como sempre.

*Por Evan Rail

    Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG