Marcados por recessão econômica, jovens olham além da figura de Obama

Sem laços com a histórica eleição do presidente americano, quatro anos atrás, americanos se preocupam com momento econômico atual e futuro dos EUA

The New York Times |

Nos quatro anos desde que o presidente americano, Barack Obama, assumiu o poder, em grande parte com o apoio de um vasto exército de jovens, um novo grupo de homens e mulheres atingiu idade suficiente para votar e deve chegar às urnas com um ideal que foi em grande parte moldado pela recessão.

Jogada:  Obama diz que eleição determinará rumo da economia

Desta vez, os eleitores que devem votar pela primeira vez estão menos entusiasmados com Obama e significativamente mais propensos a se identificar com o ponto de vista conservador - eles citam uma crescente falta de confiança no governo em geral, de acordo com entrevistas, especialistas e pesquisas realizadas recentemente.

NYT
Vanessa Espinoza (E), 19 anos, que não se comprometeu com nenhum partido, ajuda a amiga Oralia Viveros a fazer jantar, em Conesville, Iowa

As pesquisas mostram que os americanos com menos de 30 ainda estão inclinados a apoiar Obama por uma grande margem. Mas o presidente pode enfrentar um desafio, especialmente entre os eleitores com idades entre 18 e 24 anos.

Nessa faixa etária, sua vantagem sobre Mitt Romney - de 12 pontos - é cerca de metade do que entre jovens de 25 a 29 anos de idade, de acordo com uma consulta feita online pelo Instituto de Política de Harvard. E entre brancos no grupo mais jovem, a vantagem de Obama desaparece completamente. Entre jovens de 18 a 29 anos de idade, a pesquisa revelou grande quantidade de eleitores indecisos - 30% indicaram ainda não ter decidido em quem votarão.

Momento econômico

"A preocupação para Obama, e a oportunidade de Romney, está no grupo dos jovens de 18 a 24 anos de idade que não possuem uma ligação histórica ou direta com a campanha de quatro anos atrás", disse John Della Volpe, diretor de pesquisa do Instituto de Política Harvard. Especialistas disseram que o impacto da recessão e a lenta recuperação da economia não devem ser subestimados. Os mais novos potenciais eleitores - cerca de 17 milhões de pessoas - foram influenciados por um momento econômico mais complicado.

De fato, para jovens entre 18 e 19 anos de idade, a taxa de desemprego a partir de maio foi de 23,5%, de acordo com Escritório Americano de Estatísticas do Trabalho.

A campanha de Romney tem a intenção de aproveitar o momento com uma nova leva de iniciativas online e em universidades que deve acontecer nas próximas semanas, disse Joshua Baca, diretor de coalizão nacional da campanha. Segundo ele, a mensagem seria simples: as políticas econômicas de Obama não estão funcionando para os jovens.

Por sua vez, a campanha de Obama já começou a trabalhar os adolescentes que frequentam o colegial. Ela organizou reuniões de jovens em Estados decisivos ao longo dos últimos meses e pretende chegar com força nos campi universitários.

Saiba mais: Veja o especial iG sobre eleição nos EUA

Brandon Dennis é um eleitor que diz estar aberto para a proposta de alguém novo. Dennis, 20 anos, vem de uma família negra de partidários de Obama, mas está prestando atenção aos apelos de Romney. "Desta vez, é mais sobre o que será feito para contribuir com a economia", disse Dennis, formado em química na Universidade de Clark Atlanta.

*Por Susan Saulny

    Leia tudo sobre: obamaeuaeleição nos euaromneyrecessãoeconomiajovens

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG