Laços de matrimônio refletem aliança estratégica entre Rússia e Síria

Diáspora peculiar de russos oferece pistas sobre aproximação entre os dois países que faz com que o Kremlin esteja relutante em abandonar o presidente sírio, Bashar al-Assad

The New York Times |

Em um quarteirão um tanto quanto obscuro na cidade portuária de Latakia na Síria, Natalya vive a três portas de distância de Nina, duas de Olga, a um beco estreito de Tatyana e a uma curta caminhada de Yelena, Faina e Nadezhda. Todas elas são todas mulheres da antiga União Soviética que se casaram com homens sírios.

Aliado: Rússia aceita risco ao se posicionar sobre situação na Síria

Ao longo da Síria o número de mulheres russas chega a 20 mil, o legado humano de uma aliança da Guerra Fria que, a partir de 1960, misturou suas elites jovens nos dormitórios e salas de aula soviéticos.

NYT
Roksana Dzhenid, russa casada com um sírio, em seu apartamento em Moscou

Essa peculiar diáspora, oferece algumas pistas sobre o relacionamento entre os dois países que faz com que o Kremlin esteja relutante em abandonar o presidente da Síria , Bashar al-Assad. A Rússia tem interesses estratégicos na Síria, incluindo um contrato de armas que totaliza US$ 700 milhões por ano, e um pequeno porto no Mar Mediterrâneo, que é sua última base militar fora da antiga União Soviética.

Mas existe também o fator humano que existe há 50 anos, desde que laços sociais foram forjados entre os jovens que se conheceram na faculdade. Basta entrar em qualquer ministério ou sede de uma empresa na Síria e quase certamente encontrará homens que passaram seus 20 e poucos anos na Rússia - e muitos deles trouxeram de volta esposas e suas famílias cresceram falando russo.

"São mulheres da elite que exercem alguma influência", disse Nina Sergeyeva, que até recentemente liderou uma organização de expatriados russos de sua casa, na Latakia. "Os homens da elite síria são muito voltados para a Rússia."

Conflito

À medida que o conflito na Síria continua desafiando uma solução diplomática, existem cerca de 30 mil cidadãos russos que vivem no país, na maioria mulheres e crianças, de acordo com estimativas levantadas por oficiais do governo russo.

Essa é uma questão que Moscou enfrentou anteriormente no Oriente Médio, quando o colapso de aliados do governo da União Soviética deixou os cidadãos russos que viviam no local completamente abandonados. Mas o país nunca enfrentou nada com essas proporções, ainda mais na era das mídias sociais, quando a situação de russos pode ser algo vergonhoso para Moscou.

Impasse: Síria aumenta tensão entre EUA e Rússia

Um oficial consular russo, que falou sob condição de anonimato, disse que cerca de 9 mil russos estão oficialmente registrados na embaixada, mas que acredita-se que cerca de 30 mil cidadãos estejam morando na Síria. Ele disse que não há planos de retirada no momento, mas quando houver necessidade uma frota de ônibus será enviada para as cidades para transportar os cidadãos russos para algum lugar seguro.

NYT
Casamento de Wa’el Dzhenid e Roksana refletem aproximação entre Damasco e Moscou

*Por Ellen Barry

    Leia tudo sobre: rússiasíriamundo áraberevoltaassadcasamentonoivas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG