Nos EUA, cidades tentam enfrentar a crise com venda de espaço para anúncios

Organismos estatais, corporações policias e sistemas de transporte buscam arrecadar dinheiro com propaganda em locais inusitados, como caminhão de bombeiros

The New York Times |

Será que os caminhões de bombeiros de Baltimore deveriam ser transformados em outdoors ambulantes? Depois que oficiais da cidade americana decidiram fechar três centros de bombeiros, a Câmara Municipal inicialmente procurou evitar os cortes com uma nova estratégia para arrecadar dinheiro: ela aprovou uma resolução neste mês que pede ao governo para explorar a venda de anúncios publicitários nos caminhões dos bombeiros da cidade.

Recessão: Estados marcados por crise econômica podem definir eleição dos EUA

Ainda não está claro se os logotipos corporativos serão pintados nos caminhões dos bombeiros de Baltimore. Oficiais do governo da prefeita Stephanie Rawlings-Blake expressaram dúvidas sobre a possibilidade da proposta gerar dinheiro suficiente para sustentar até mesmo uma unidade dos bombeiros.

NYT
Estação de trem Pattison recebeu o nome de AT&T, na Filadélfia

Mas ao explorar essa opção, Baltimore está se juntando a dezenas de outras cidades, sistemas de trânsito e distritos escolares ao redor de todo o país que estão em dificuldades financeiras e tentam enfrentar a crise econômica com a venda de anúncios e patrocínios para arrecadar dinheiro.

Tais esquemas de marketing têm sido muito utilizados por times esportivos e algumas organizações artísticas. Mas hoje em dia, usuários de transporte público na Filadélfia compram bilhetes que vêm com anúncios do McDonalds e pegam o trem para a Estação AT&T (ex-estação Pattison), onde as catracas são pintadas com a cor azul e branca da empresa.

A rede de restaurantes KFC foi a pioneira nesse tipo de posicionamento de anúncios no início da crise, quando estampou temporiaramente sua marca nas tampas de boeiros e hidrantes em várias cidades de Indiana, Kentucky e Tennessee, depois de pagar para consertar os boeiros e substituir os hidrantes.

Receio

Mas alguns têm medo de que aceitar esses anúncios possa enviar uma mensagem errada. Quando a cidade de Tyngsborough, no Estado de Massachusetts, recentemente considerou a venda de anúncios para arrecadar dinheiro para sua frota de carros de polícia, o chefe William F. Mulligan tinha algumas preocupações.

"Devido à natureza do que fazemos, nós preferimos permanecer neutros", disse. "Digamos que houvessem dois shoppings, e um deles tivesse anunciado conosco e o outro não. Será que a empresa iria pensar que não estaríamos tratando-a de uma maneira justa?" A proposta acabou sendo rejeitada.

Mesmo antes da recessão, o pequeno Departamento de Polícia em Littleton, Massachusetts, começou uma campanha de anúncios que arrecadou o dinheiro necessário para a pagar por novos carros de polícia através da troca de espaço publicitário em seus pára-lamas e porta malas.

Minneapolis colocou alguns anúncios antifumo na mangueira de cobre de alguns caminhões de bombeiros da cidade. Em Phoenix, funcionários da área de saúde patrocinaram mensagens de segurança em vários caminhões de bombeiros, com os rendimentos destinados a uma instituição de caridade administrada pelo sindicato dos bombeiros que ajuda vítimas de incêndios, crianças locais e os pobres.

*Por Michael Cooper

    Leia tudo sobre: baltimoreeuapublicidadeanúnciobombeirosphoenixminneapolis

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG