Taleban cancela campanha de vacinação com medo de espionagem americana

Comandante no Paquistão proibiu vacinas de pólio na região tribal do Waziristão, depois de campanha confirmar DNA de Osama bin Laden em Abbottabad

The New York Times |

Um comandante paquistanês do Taleban proibiu vacinas de pólio na região de Waziristão dias antes da vacinação de cerca de 161 mil crianças. Ele conectou a proibição a ataques realizados pelos americanos com aviões não tripulados e a temores de que a CIA (agência de inteligência americana) poderia utilizar a campanha antipólio como uma cobertura para espionagem, assim como fizeram com Shakil Afridi , o médico paquistanês que ajudou a localizar Osama bin Laden .

Abbottabad:  CIA armou vacinação falsa para pegar DNA de Bin Laden, diz jornal

Hafiz Gul Bahadur, comandante do Taleban, disse que as vacinas de pólio serão banidas até que a CIA pare com sua campanha de ataques por aviões não tripulados, que tem sido amplamente concentrada na região do Waziristão.

NYT
Soldados do Exército paquistanês em operação na região tribal do Waziristão (foto de arquivo)

Bahadur disse que a decisão havia sido tomada pelo shura-e-mujahideen, um conselho que reúne diversos grupos jihadistas da região, como o Taleban e a Al-Qaeda.

O anúncio é um duro golpe aos esforços feitos para a vacinação contra a pólio no Paquistão, que é um dos três únicos países onde a doença ainda é endêmica e 198 novos casos foram registrados no ano passado - a maior taxa no mundo.

A região tribal, que sofreu durante décadas de miséria e conflitos, é o maior reservatório da doença. Um porta-voz da Unicef disse que os trabalhadores de saúde tinham a intenção de vacinar 161 mil crianças menores de 5 anos de idade em uma campanha de vacinação programada para começar na semana passada.

Leia também: Paquistão condena médico que ajudou CIA a achar Bin Laden

Polêmica:  Paquistão condenou 'médico de Bin Laden' por ajudar militância, e não a CIA

Desde o início de 2012, o Paquistão registrou 22 novos casos de pólio, em comparação aos 52 que foram registrados no mesmo período do ano passado.

Médico

O aviso do Taleban provavelmente também reacenderá a polêmica em torno de Afridi, que recentemente foi condenado por um tribunal tribal a 33 anos de prisão.

Em março e abril de 2011, Afridi iniciou uma campanha de vacinação em Abbottabad que foi idealizada para determinar se Bin Laden estava escondido em uma casa na cidade. Afridi não conseguiu obter uma amostra de DNA na campanha, disse um oficial sênior dos Estados Unidos.

Os agentes humanitários ocidentais criticaram duramente a CIA por recrutar médicos para suas operações e se queixaram de duras restrições sobre o seu trabalho impostas pelas autoridades paquistanesas. As autoridades americanas disseram que Afridi estava atrás de um inimigo comum do Paquistão e dos Estados Unidos.

A declaração do Taleban sugere que a suspeita sobre os trabalhadores de saúde se espalhou entre os grupos militantes, que estão prontos para utilizar a questão para fins de propaganda.

O médico Muhammad Sadiq, cirurgião geral do Waziristão, disse que já recebeu pedidos do Taleban para cancelar a campanha de vacinação que estava prevista.

"Diante dessas circunstâncias, não podemos continuar", disse ele em uma entrevista por telefone.

*Por Declan Walsh

    Leia tudo sobre: paquistãoafeganistãovacinaçãoeuaciabin ladentalebanal-qaeda

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG