Rebeldes sírios usam armas de brinquedos em campanha contra Assad

Apesar de idealizado para criar clima amedrontador, vídeo mostra opositores com réplicas de armamentos, como a metralhadora MP-5

The New York Times | - Atualizada às

Se falcatruas sempre fizeram parte dos jogos de guerra, com certeza elas nunca haviam sido tão bem forjadas quanto nos vídeos que combatentes sírios fizeram anunciando a formação de uma brigada de forças especiais na batalha contra o presidente Bashar al-Assad.

Jordânia: Piloto da Síria deserta com jato de caça

O vídeo, publicado no YouTube, continha trechos de mensagens dos combatentes: 11 homens vestidos de preto com seus rostos cobertos por máscaras, posando com o que pareciam ser metralhadoras MP-5, uma arma comumente utilizada por equipes de contraterrorismo.

AP
Rebelde sírio passa por túmulos de sírios mortos por forças leais a Assad, na cidade de Taftanaz

Um dos homens do grupo leu uma declaração dizendo que sua luta era "a serviço de Deus" e contra o "regime criminoso" de Assad. Bandeiras do Exército da Libertação Síria, a confederação de lutadores antiAssad, podiam ser vistas penduradas na sala.

Tudo foi criado para projetar um clima ameaçador. Havia apenas um problema: as armas não passavam de brinquedos de plástico.

De acordo com uma análise feita por um curador de armas do Museu Britânico, os 11 homens estavam na verdade segurando uma TD-2007, uma réplica de brinquedo da metralhadora MP-5 de fabricação chinesa, comercializada como apropriada para crianças acima de 5 anos de idade. Em cada uma delas, os homens haviam colocado uma extensão - provavelmente feita de plástico e pintada a mão - que fazia com que as armas parecessem ainda maiores.

Pista

O curador Jonathan Ferguson da Royal Armouries (Armada Real, em tradução livre), de Leeds, norte da Inglaterra, disse que o tamanho dos canos foi o que lhe deu a pista para reconhecer as imitações.

"Se eles não tivessem colocado essas extensões nas armas, provavelmente teriam nos feito acreditar que estavam realmente armados", afirmou.

Violência: Armamentos pesados podem piorar escalada de conflito na Síria

O autor do vídeo permanece desconhecido e ele foi publicado por um simpatizante da oposição, parte de uma mostra diária de vídeos que expõem o sofrimento e atividades dos inimigos de Assad.

A farsa foi desvendada quando Ferguson assistiu ao vídeo e percebeu que cada homem segurava sua arma com a mão esquerda de uma maneira que ocultava o exato local onde a extensão falsa fazia ligação com a arma de brinquedo e, em seguida, ele notou que outras partes estavam fora de proporção. Um pesquisa pela internet acabou confirmando todos estes fatos.

Nesta semana o Daily Mail, um tabloide britânico, publicou fotos de um grupo chamado Unidade Fantasma, que é leal a Assad e acusado de matar civis sírios.

Duas imagens mostraram um membro supostamente com uma pistola semiautomática. A arma foi mais tarde exposta pelo jornal Al Bawaba da Jordânia como sendo uma réplica de uma pistola israelense do modelo Desert Eagle.

O Al Bawaba criticou a oposição pela circulação de tais imagens, sugerindo que este tipo de exposição poderia colocar em risco toda legitimidade da campanha antiAssad diante do público em geral.

Analistas ocidentais sugeriram que o vídeo também poderia demonstrar potenciais armadilhas na campanha de mídia da oposição.

*Por C.J. Chivers

    Leia tudo sobre: síriaassadoposiçãorevoltaarmasvídeoréplica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG