Nova postura de Obama para imigração coloca Romney em situação delicada

Candidato republicano se divide entre conservadores que são base de apoio de seu partido e latinos, que têm imigração como uma de suas principais preocupações

The New York Times |

De certa forma, a mudança unilateral do presidente americano, Barack Obama, em relação à política de imigração foi claramente uma tática para atingir um bloco de eleitores-chave nos Estados que irão decidir se ele deve permanecer no poder por mais um mandato. E, como tática política, ela certamente tem o potencial de retorno.

Obama: EUA impedirão deportação de jovens imigrantes ilegais

Ele enviou uma mensagem clara às comunidades hispânicas na Flórida, Colorado, Nevada, Virgínia e em outros Estados de que compreende suas frustrações por sua falta de tempo até o momento para tratar de problemas do sistema de imigração e reduzir o número de deportações.

AP
O republicano Mitt Romney fala a eleitores em Michigan (19/6)

Após duas semanas nas quais sua campanha de reeleição parecia estar perdendo a vantagem para Mitt Romney, Obama, por ao menos um dia, foi capaz de conduzir a agenda. E o anúncio do presidente colocou Romney, cujo partido já está dividido sobre a questão, em uma situação difícil, pressionando o candidato republicano a escolher entre alienar ainda mais os eleitores latinos que se irritaram com as posturas anti-imigração adotadas durante as primárias e alienar os conservadores, que rejeitam quaisquer políticas que falem de anistia.

O momento do anúncio parece ter sido cuidadosamente planejado pela Casa Branca. Romney e Obama irão comparecer diante de um grupo de oficiais hispânicos eleitos em dias sucessivos na Flórida, uma oportunidade para que o presidente possa ressaltar uma diferença entre suas posturas em um Estado disputado.

Imigração: Decepção com Dream Act deixa estudantes mais ansiosos nos EUA

Obama também tem encontros com um grupo de ativistas de imigração na Casa Branca. E a Suprema Corte deve decidir em breve a respeito da legislação do Arizona que requer que oficiais estaduais da lei verifiquem o status de imigração durante batidas policiais e transforme em crime que imigrantes ilegais trabalhem no Estado.

Posição

Há muito que os democratas veem a imigração como o melhor exemplo de como a mudança de postura de Romney para a direita durante as primárias republicanas poderia complicar sua capacidade de criar uma coalizão mais ampla durante a eleição geral. Durante as primárias, Romney se opôs ao Dream Act , uma legislação proposta que teria permitido que muitos jovens imigrantes ilegais pudessem permanecer no país e teria dado a eles uma maneira de obter a cidadania americana.

Saiba mais: Veja o especial iG sobre eleição nos EUA

À medida que ele se aproximava mais da eleição geral e confrontava a necessidade de competir pelos votos latinos, sua campanha tentou lidar com o problema de uma maneira sutil, dizendo que o foco de seu apelo para os hispânicos seria o emprego e a economia, em vez da imigração.

Após um evento de sua campanha em Milford, New Hampshire, em 15 de junho, Romney criticou a ordem executiva do presidente por "dificultar o ato de se chegar a uma solução a longo prazo" para lidar com o destino dos jovens que estão nos Estados Unidos ilegalmente "sem necessariamente terem culpa disso". Romney não disse se revogaria a ordem de Obama caso seja eleito.

Muitos líderes latino-americanos haviam sido alvo de críticas do presidente por não fazer muito para lidar com a imigração. Mas na sexta-feira eles disseram que abraçaram sua tática.

"Sabemos que isso é política, mas gostamos da mudança", disse Robert Meza, um senador estadual democrata de Phoenix. "As pessoas são inteligentes o suficiente para saber que está claro que tudo isso faz parte da política, mas se suas preocupações avançam elas ficam contentes.”

Romney alertou seus partidários que se os republicanos não encontrarem uma maneira melhor para atrair os eleitores hispânicos eles "provavelmente estarão acabados."

Votação: Número de eleitores hispânicos não reflete sua força política nos EUA

Mas sua campanha concluiu até agora que o seu objetivo deve ter uma mensagem econômica, não uma modulação das posturas anti-imigração ilegal que Romney adquiriu durante sua disputa pela nomeação. Seus conselheiros apontam que as pesquisas mostram que os eleitores hispânicos classificam emprego e economia como sendo as questões que mais os preocupam, seguidas da educação.

Alguns conselheiros afirmaram que Romney tem mais a perder ao se expor a acusações de mudar posições sobre a imigração ilegal do que tem a ganhar ao apelar para uma fatia do eleitorado latino que considera a imigração como sua principal preocupação, pois esses eleitores já apoiam Obama.

*Por Helene Cooper e Trip Gabriel

    Leia tudo sobre: eleição nos euaromneyobamaimigraçãoeuadream act

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG