Estado de Nova York coloca prisões desativadas à venda

Após tentar resolver problemas de orçamento com medidas tradicionais, governador Andrew M. Cuomo testa nova tática

The New York Times |

Uma propriedade localizada no Vale do Hudson inclui uma garagem que pode acomodar até 16 carros, um chiqueiro e uma boa vista para o lago. Outra oferece 27 hectares localizados à beira mar na costa oeste de Staten Island, com direito a um ginásio de dois andares, um pequeno campo de beisebol e um pavilhão ao ar livre.

Aqueles que buscam se isolar também possuem uma escolha: nove hectares de terra ao lado de uma floresta que pertence ao Estado na zona rural do condado de Schoharie, perfeita para caça e pesca. A propriedade vem com sua própria usina de tratamento de esgoto e filtragem de água, assim como uma capela e uma marcenaria.

Leia também:  Vivendo em mansões históricas de Nova York, sem pagar aluguel

NYT
Antiga cela da prisão de Oneida, em Rome, no Estado de NY, fechada no ano passado (11/05)

O comprador ideal é alguém que anseia por bastante espaço e que não se importa de ter uma propriedade que teve milhares de visitantes ao longo dos anos. Gostar de espaços abertos também ajuda.

A listagem destes imóveis foi feita por um vendedor sem muita experiência no mercado: o Estado de Nova York. Depois de cortar custos através de meios tradicionais como o congelamento de salários dos trabalhadores do Estado e a consolidação de escritórios do governo, o governador Andrew M. Cuomo está embarcando em um esforço menos convencional ao tentar vender antigas prisões de Nova York.

O Estado tem um excesso de penitenciárias vazias devido à diminuição das taxas de criminalidade, novos programas que permitem a libertação antecipada para infratores na violentos e o fim de suas rígidas leis contra as drogas. A situação em Nova York reflete a mudança de atitude ao redor do país em relação à política de justiça criminal: o número de presos estaduais em todo o país caiu em 2009 e 2010 pela primeira vez em pelo menos três décadas, segundo o Departamento Federal de Estatísticas da Justiça.

O ex-governador de Nova York David A. Paterson fechou três prisões à medida que se deparou com problemas orçamentários. O atual governador, Cuomo, declarou em seu primeiro discurso na Assembleia Legislativa do Estado que as prisões não eram "um programa de emprego" e fechou sete das 67 penitenciárias restantes, além de remover cerca de 3,8 mil leitos das remanescentes.

NYT
Campo de handball em ex-prisão de Oneida, fechada no ano passado (11/05)

O Estado tem outros imóveis para oferecer, como por exemplo um arsenal romanesco em Poughkeepsie, onde os soldados se agrupavam antes da Guerra Hispano-Americana, e um ex-centro de reabilitação para jovens mulheres na região de Finger Lakes.

Para os compradores menos imaginativos, no mês passado o governo de Cuomo leiloou 454 carros e caminhões, que foram vendidos rapidamente. Ele também criou uma loja no site eBay.

"Ao invés de gastar milhões de dólares fazendo a manutenção de instalações de que não precisamos", disse Howard B. Glaser, diretor de operações do Estado, "a abordagem do governador economiza o dinheiro dos contribuintes e dá espaço para o desenvolvimento econômico através da transformação e da criação de oportunidades de investimento em comunidades ao redor de todo o Estado."

Por Thomas Kaplan

    Leia tudo sobre: euanova yorkprisõesmercado imobiliário

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG