Romney diminui vantagem de Obama em arrecadação de campanha

Comitês independentes conhecidos como Super Pacs impulsionam candidatura do ex-governador à presidência dos EUA

The New York Times |

A grande vantagem do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, na arrecadação de fundos de campanha está em declínio. À medida que os principais doadores republicanos contribuem com a campanha de Mitt Romney, os Super PACs (comitês independentes que podem arrecadar e gastar quantias ilimitadas durante as campanhas) conservadores ultrapassam os liberais e grupos de defesa política se aproveitam da isenção de impostos, a disputa eleitoral passa por uma rápida mudança.

Leia também: Arrecadação da campanha de Obama cai para US$ 43,6 milhões em abril

AP
Candidato presidencial republicano Mitt Romney caminha perto de repórteres em voo entre Nova York e Washington (23/05)

Com os comitês congressistas republicanos acompanhando o ritmo dos democratas, parece cada vez mais provável que Obama e seus aliados democratas sejam alcançados ou mesmo ultrapassados em seus gastos por grupos republicanos e conservadores - algo muito diferente do que aconteceu em 2008, quando Obama arrecadou e gastou muito mais do que o senador John McCain e os Super PACs não existiam.

Ao todo, Obama, congressistas democratas e grupos liberais arrecadaram pelo menos US$ 547 milhões neste ciclo eleitoral, enquanto Romney, congressistas republicanos e os principais grupos conservadores angariaram pelo menos US$ 462 milhões, de acordo com uma análise da prestação de contas feita à Comissão Eleitoral Federal.

Saiba mais: Veja o especial do iG sobre as eleições nos Estados Unidos

Esses números não levam em conta todo o dinheiro gasto por meio de organizações que se aproveitam da isenção de impostos, que não são obrigadas a divulgar seus gastos, como o grupo Americanos pela Prosperidade, fundado pelos bilionários irmãos Koch, que supostamente prometeram investir pelo menos US$ 200 milhões na campanha conservadora. Também não inclui o dinheiro gasto diretamente pelos sindicatos neste ciclo.

Nos últimos meses, os aliados de Obama apelaram para os doadores liberais para que invistam dinheiro em Super PACs de tendência democrata, petrificados pelas centenas de milhões de dólares que serão gastos contra o presidente nas ondas de rádio e televisão americanas.

Além disso, Romney e o Comitê Nacional Republicano, utilizando as amplas reservas bancárias acumuladas por Super PACs conservadores nos últimos meses, estão rapidamente querendo construir estabelecer uma operação de campo que corresponda a de Obama e de grupos que apoiam a candidatura democrata.

O comitê nacional gastou mais na folha de pagamento de março do que em qualquer mês desde 2011, mas também investiu pesado na angariação de fundos de doadores de pequeno e médio porte.

Romney tem mantido uma agressiva agenda de arrecadação de recursos nas últimas semanas, incluindo uma passagem pela Flórida na semana passada na qual arrecadou mais de US$8 milhões em dois dias, e uma viagem a Nova York nesta semana, que deverá trazer até US$ 20 milhões para os cofres republicanos.

"Estávamos à espera de um candidato", disse Mel Seem, um empresário da Flórida que está entre os republicanos que mais arrecadam fundos para o partido em todo o país. "Agora temos um candidato."

Por Nicholas Confessore, Jo Craven McGinty e Derek Willis

    Leia tudo sobre: eleição nos euaromneyrepublicanoseuaobama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG