Mulheres nos EUA redescobrem atalho para curvas perfeitas

Importado da Colômbia, acessório apertado como o corpete invade lojas e reconquista latinas que querem corpo escultural

The New York Times |

O dia a dia de Blanca Murillo, em grande parte, parece banal para qualquer mulher: ela lava o rosto, escova os dentes, penteia seus cabelos loiros e faz sua maquiagem. E logo após tudo isso, ela coloca um acessório muito especial em sua cintura.

NYT
Kathy Vera veste um corselete na loja Caralinda Mis Fajas, em Nova York
O acessório, conhecido como faja, foi importado da Colômbia, um dos maiores centros mundiais de cirurgia plástica, onde até recentemente era utilizado principalmente para pacientes em recuperação de lipoaspiração para manter o inchaço ao mínimo e garantir que a pele continuasse no lugar corretamente. Mas esse acessório tem sido bastante aceito por jovens latinas - e cada vez mais por outras mulheres também - como um atalho para ter um corpo escultural.

Por mais de 50 anos, as mulheres americanas desconsideraram tais acessórios restritivos, algo que as feministas criticavam como sendo símbolos da repressão. A marca de roupa íntima feminina Spanx foi reconhecida por reintroduzir e reacostumar as mulheres com o conceito de terem acesso à ajuda extra para problemas com seu visual.

"Você está vendo essas gordurinhas?" perguntou Blanca, 33 anos, uma cabeleireira de baixa estatura enquanto beliscava sua barriga e levantava sua camisa para revelar um corsete bem ajustado. "Com isso, você pode esconder as imperfeições."

A demanda tem aumentado cada vez mais. A Colfajas, empresa que fabrica e exporta corsetes na Colômbia, elevou sua produção em 47% no ano passado e exportou 60 mil itens, milhares a mais do que nos anos anteriores, disse Jean Pierre Velez, que ajuda a administrar a empresa de propriedade familiar.

Fomatos

Os corsete vem em uma variedade de formas e tamanhos, desde macacões que cobrem o corpo inteiro até cintas apenas para a barriga, tanto para mulheres quanto para os homens. O efeito de cada uma depende muito de seu material. Quanto menos maleável for o material, mais lisonjeador será o efeito.

Os preços normalmente variam entre US$ 20 e US$ 70.

NYT
Em loja de Nova York, Nicole Uricochea prova corselete, acessório que está de volta no vestuário feminino
"Existe um ditado em espanhol que diz 'Você quer parecer com uma garrafa de Coca-Cola?'", disse Lilliana Rios, 33 anos, que escreveu sobre o corsete em seu blog ThingsLatinosLoveorHate.com. "Muitas músicas falam de mulheres com formas perfeitas, como a de um violão, e esse é o visual que muitas mulheres latinas querem ter.”

Mas adquirir esse visual exige um pouco de coragem. Usar um corsete pode se transformar na luta desesperada entre uma mulher e um tecido. Você deve lutar contra uma série de obstáculos que começam com o fechamento do corsete até o fato de que ele irá apertar seu corpo para parecer que você não tenha nenhuma gordura.

"No primeiro dia é praticamente insuportável” disse Blanca. "Mas, depois, você se acostuma."

*Por Sarah Maslin Nir

    Leia tudo sobre: corseleteeuacolômbiaamérica latinamulheresroupavestuário

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG