Republicanos pedem que Romney promova 'visão positiva'

Líderes do partido querem que pré-candidato encontre equilíbrio entre ataques a Obama e mensagem otimista que atraia eleitores

The New York Times |

Os republicanos têm uma mensagem para Mitt Romney: está na hora de ser positivo.

Líderes proeminentes do partido, perturbados pelo tom frequentemente combativo da campanha presidencial de Romney, estão pressionando o candidato republicano a equilibrar suas duras críticas ao presidente Barack Obama com uma visão otimista e conservadora que inspire os eleitores do partido, conquiste indecisos e estabeleça uma agenda de governo que o leve à vitória na eleição presidencial de novembro.

Saiba mais: Veja o especial do iG com tudo sobre as eleições nos EUA

NYT
Romney cumprimenta partidários após atacar Obama em discurso em Charlotte, na Carolina do Norte (18/04)

Sua preocupação: que o tom enraivecido adotado pelo candidato na temporada de primárias republicanas possa invadir as eleições gerais, deixando Romney preso em uma campanha de troca de acusações que poderia limitar a sua capacidade de definir diferenças fundamentais entre republicanos e democratas. Em entrevistas, estes republicanos afirmaram que Romney deve se concentrar mais naquilo que defende e menos naquilo ao que é contra.

"Mitt Romney tem que criar um plano, política e princípios com os quais as pessoas possam se identificar e, finalmente, apoiar", disse o governador Gary R. Herbert, de Utah, um forte defensor de Romney quem disse ser "jogo justo" apontar as diferenças com o presidente. "Não pode ser apenas negatividade."

Estes pedidos para que Romney ajuste sua abordagem, aos quais sua campanha demonstrou resistência até o momento, têm um peso especial porque vêm de muitos de seus mais conhecidos apoiadores, como Jeb Bush, ex-governador da Flórida, e Mitch Daniels, governador de Indiana.

Em entrevistas, os líderes republicanos disseram concordar com os ataques de Romney e compreender que ele está tentando aproveitar a ira da base republicana. Mas, segundo eles, o candidato ainda não encontrou o equilíbrio certo para mostrar o que há de errado com seu adversário e o que ele faria melhor.

O objetivo, segundo eles, deve ser o de capturar o conservadorismo ensolarado encarnado por Ronald Reagan e, em menor extensão George W. Bush, neutralizando os esforços liberais para retratar Romney como um político retrógrado.

 Quando Rick Snyder, o governador republicano de Michigan, apoiou Romney, lhe deu este conselho: "O povo americano quer ouvir uma visão positiva para a América. Você quer ter uma posição que dá as pessoas uma razão para votar em você, não uma campanha baseada em motivos para não votar em alguém", disse Snyder.

Vários líderes republicanos disseram que não estão ouvindo o suficiente sobre os planos do próprio Romney para consertar o que está quebrado. Jeb Bush disse que Romney "precisa ficar acima da briga". Este é um sentimento ecoado por vários eleitores que frequentam os eventos da campanha de Romney.

Linda Heck participou de um comício em uma fábrica em Lorain, Ohio, na semana passada para ouvir Romney explicar seus planos para a economia. Ela ficou decepcionada. "Não ouvi ele dizer: 'Isso é o que eu vou fazer' e 'é assim que eu vou fazer isso'", disse Heck.

Mas a campanha não mostrou nenhum sinal imediato de que irá abandonar o modo de ataque, precisamente a abordagem que alguns apoiadores querem que ele mantenha. Terry Branstad, o governador republicano de Iowa, disse que Obama é quem está realizando uma campanha negativa.

"Ele está gastando seu tempo atacando Romney pessoalmente", disse Branstad, que encorajou Romney a ressaltar as deficiências do presidente. "Acredito que se fizermos isso, vamos vencer esta eleição."

Por Michael Barbaro

    Leia tudo sobre: eleição nos euarepublicanosobamaeuaromney

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG