Sabor da nostalgia se torna atraente e ganha espaço na Polônia

Poloneses retomam tradições, como o menu de arenque e vodca, que buscavam manter a todo custo contra o aperto do regime comunista

The New York Times |

Os garçons de camisa branca e gravata borboleta preta serviram intermináveis copos de vodca e petiscos de arenque em óleo, além de um ocasional kielbasa, em meio à multidão que brindava entusiasmada: "Na Zdrowie" ou "Saúde".

Rússia: Vinte anos depois do fim da URSS, muitos gostariam de voltar no tempo

NYT
Petisco de arenque e vodca são menu chefe de bares como o Pijalnia Wodki i Piwa, em Varsóvia
Se não fosse pelas bolsas de grife e iPhones onipresentes, essa cena poderia ter sido presenciada em uma Polônia de outra era, em pequenos bares por trás da Cortina de Ferro. Naquela época, os poloneses protegiam zelosamente a sua cultura, seu patrimônio e sua gastronomia contra o aperto sufocante do comunismo.

Mas quando o comunismo finalmente caiu, em 1989, as novidades do Ocidente invadiram a capital, com coquetéis de rum, fast food e restaurantes asiáticos.

Atualmente, os poloneses retomaram aquilo que é seu e estão se sentindo muito mais confiantes, abraçando tradições, em vez de abraçar sem questionamento as últimas tendências estrangeiras.

Tendência

O Pijalnia Wodki i Piwa (que se traduz como Sala Para Beber Vodca e Cerveja), foi inaugurado em janeiro e é apenas um dos estabelecimentos de uma nova estirpe que tem brotado por toda Varsóvia apoiados por esse orgulho ressurgente.

Conhecido como bares zakaskas, esses estabelecimentos tentam recriar o ambiente da era soviética, com uma decoração intencionalmente pobre, pouca mobília e ofertas baratas.

"Tudo associado com a tradição polonesa era tratado como algo rude e cru, um indicador do passado socioeconômico pobre dos poloneses", disse o sociólogo Tomasz Szlendak.

Os poloneses começaram a consumir o sushi mais caro fora do Japão, achando que aquilo determinava que eles agora já não estavam atrasados. Isso, claramente, serviu de inspiração para muitas piadas.

NYT
Poloneses tomam shots de vodca no bistrô zakaska Miedzy Wodka, na capital polonesa
Os poloneses têm muitas razões para se sentir um pouco arrogantes. Desde o fim do comunismo, seu padrão de vida melhorou significativamente. De acordo com uma pesquisa, 75% dos poloneses estão satisfeitos com suas vidas, o que coloca a Polônia na elite europeia.

Quando passaram a se sentir melhor sobre si mesmos, os poloneses começaram a explorar seu passado em uma variedade de maneiras, de documentários históricos a romances policiais retrô.

Os bistrôs zakaskas seguem essa tendência. Mais de uma dúzia abriu apenas na capital, e o resto do país não ficou para trás .

"Eu não queria um lugar exigente", disse Iwona Sumka, 44 anos, que possui três cafés zakaskas em Varsóvia. "Eu queria algo um pouco feio mesmo, onde ninguém sinta a necessidade de se mostrar. "

*Por Joanna Berendt

    Leia tudo sobre: polôniacomunismocortina de ferrounião soviéticaurssvodcabar

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG