Soldados americanos aprendem agricultura afegã antes de missão

Em novo programa de treinamento, militares ficam sabendo mais sobre culturas e tradições agrícolas do que armamentos pesados

The New York Times |

Quando o sargento Darrell Rowe foi informado por seus superiores que seria enviado para uma semana de apicultura e poda de árvores no fértil Vale Central da Califórnia, ele ficou irritado.

iG explica: Entenda por que o Afeganistão é estratégico

"Minha primeira reação foi questionar que diabos eu faria com a agricultura", disse Rowe, 32 anos. "O que um homem de combate tem a ver com culturas agrícolas?"

NYT
Alan Water instrui militares americanos a tipos de agricultura que podem ser desenvolvidos no Afeganistão
Rowe já serviu dois turnos no Iraque e um no Afeganistão. Nesta semana, ele deixará a Base Lewis-McChord, localizada perto de Tacoma, Washington, para um turno de nove meses no Afeganistão.

Mas uma coisa é ter visto a terra e outra saber como lidar com ela.

Familiarizar soldados que serão enviados ao Afeganistão com informações básicas sobre as culturas agrícolas do país e suas tradições é precisamente o que busca um novo programa de treinamento de uma semana desenvolvido pelo Departamento de Agricultura Federal. Nese treinamento, os soldados devem aprender mais sobre esterco do que sobre fuzis com lançadores de granadas M-4.

Oficiais militares enviam soldados de todo o país para a Califórnia porque ela compartilha muitas características agroclimáticas com o Afeganistão - como vales férteis, planícies semiáridas e montanhas - e serve como uma espécie de laboratório geográfico.

"Nós podemos reproduzir em nossa fazenda demonstrativa exatamente o tipo de condições que eles vão encontrar no país", disse Bill Erysian, diretor de Programa de Desenvolvimento Agrícola para o Afeganistão, também conhecido como Adapt na sigla em inglês, elaborado no campi de Fresno da Universidade Estadual da Califórnia.

Papoula

Além disso, com exceção da papoula de ópio produzida no Afeganistão, os dois locais cultivam os mesmos produtos.

"A primeira vez meu avião pousou aqui eu me senti familiarizado", disse Navid Sediqi, agrônomo do Afeganistão e um dos instrutores do curso. "Eu vi pistache, amêndoas, trigo, romãs, uvas. Estas são as mesmas coisas que crescem no meu país".

No fim de março, cerca de 25 soldados americanos - incluindo membros da Guarda Nacional, da Reserva do Exército e dos Assuntos Internos do Exército - passaram uma semana em Fresno para aprender noções básicas de agricultura de subsistência, como formas de impedir que vegetais estraguem sem refrigeração e como transplantar mudas de uva.

"Nós não tornamos nenhum deles em agricultores em cinco dias", disse Ryan Brewster, diretor do gabinete para o Afeganistão do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos. "O objetivo é ensinar a eles alguma coisa sobre a agricultura, e assim mostrar o que é importante para o povo afegão".

*Por Malia Wollan

    Leia tudo sobre: afeganistãoeuaagriculturamilitarescultivocalifórnia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG