As forças especiais americanas executaram desde 2004 dezenas de operações secretas contra a Al-Qaeda e outros grupos extremistas no Paquistão, Síria e mais países, informa o site do jornal The New York Times.

Com base em fontes do governo não identificadas, o jornal afirma que, para poder realizar estas ações, as Forças Armadas americanas receberam uma ordem ampla assinada em 2004 pelo então secretário de Defesa Donald Rumsfeld, com a aprovação do presidente George W. Bush.

O documento permitia ataques contra a Al-Qaeda e outros alvos hostis em qualquer parte do mundo, incluindo países que não estivessem em guerra com os Estados Unidos, segundo o NYT.

Assim, uma equipe da Marinha atacou um centro islamita na região de Bakhaur no Paquistão em 2006, informa o jornal, com base no depoimento de um ex-funcionário da CIA.

Os comandantes militares assistiram todo o ataque "ao vivo" na sede da CIA na Virgínia, graças a uma câmera de vídeo instalada em um avião Predator, acrescenta o jornal.

Outra ofensiva foi executada por forças especiais na Síria em 26 de outubro passado, em cooperação com a CIA.

O jornal não divulga mais informações sobre outros alvos, mas explica que, segundo suas fontes, nenhum deles estava dentro do Irã.

No entanto, o NYT acrescenta que Washington realizou missões de reconhecimento no Irã.

Antes de receber a ordem executiva em 2004, o Pentágono precisava de uma aprovação especial para cada uma de suas missões.

Segundo o jornal, o documento de 2004 identifica entre 15 e 20 países, incluindo Síria, Paquistão, Iêmen, Arábia Saudita e outras nações do Golfo Pérsico, nos quais a Al-Qaeda teria bases operacionais ou teria refúgios.

mk/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.