Montevidéu, 13 jul (EFE).- Uma mulher de 22 anos, que na semana passada foi submetida a uma cesárea no sétimo mês de gravidez, é a 10ª vítima fatal da gripe suína no Uruguai.

A mulher falecida foi internada na semana passada em um hospital de Carmelo, cidade a 230 quilômetros a oeste de Montevidéu, em seu sétimo mês de gravidez, quando começou a manifestar os sintomas da gripe, informou o jornal "El País".

A gravidade de seu estado obrigou a realização de uma cesárea para salvar a vida do bebê, que foi transportado imediatamente para uma clínica de Montevidéu, onde evolui bem, apesar de ter nascido prematuramente e ter contraído a gripe.

Após a cesárea, a saúde da mãe se agravou ainda mais, culminando em sua morte, confirmada hoje de manhã.

Há suspeita de que um jovem camponês, de 21 anos, que morreu há uma semana na cidade de Rosario, situada a 250 quilômetros a oeste de Montevidéu, também tenha falecido em decorrência da doença, apesar dos resultados de laboratório não terem confirmado até agora se ele tinha o vírus da doença.

Segundo o Governo uruguaio, a gripe já pode ter afetado milhares de pessoas no país, apesar da gravidade de sua incidência não ser tão grande para mudar as medidas especiais para combatê-la.

A ministra da Saúde, María Julia Muñoz, rejeitou durante o fim de semana prolongar as férias escolares e cancelar espetáculos públicos e acusou a oposição de impulsionar as medidas por "fins políticos".

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados. EFE amr/pd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.