Número de mortos por terremoto no Chile sobe para 795

O número de mortos pelo terremoto que atingiu o Chile subiu para 795, enquanto o de desabrigados continua em 2 milhões, segundo informou nesta terça-feira a presidente chilena, Michelle Bachelet.

iG São Paulo |


Segundo o Escritório Nacional de Emergência (Onemi, na sigla em espanhol), dependente do Ministério do Interior chileno, pelo menos 586 mortes foram registradas na região do Maule, sendo 350 só no povoado de Constitución . Grande número de mortes também foi registrado em Bío-Bío (92), O'Higgins (48), Valparaíso (18) e La Araucanía (13). Na capital Santiago, houve 38 vítimas.

O terremoto de sábado, seguido por tsunamis, foi um dos mais poderosos dos últimos 100 anos. As equipes de socorro tentam resgatar as pessoas presas entre os escombros em cidades como Concepción, Talcauano, Curicó, San Javier, Linares e Talca.

No domingo, Bachelet anunciou medidas de emergência para ajudar as vítimas, entre elas a declaração de "zona de catástrofe" para as regiões de Maule e BioBío, onde está Concepción, segunda maior cidade do país e uma das mais atingidas pelo tremor. Um toque de recolher foi determinado para as duas regiões.

Na terça-feira, Bachelet informou que 14 mil militares foram mobilizados nas áreas mais críticas. Eles ficarão responsáveis pela distribuição de ajuda e a prevenção de saques.

"Entendemos as angústias urgentes das pessoas, mas sabemos que há ações delituosas, e isso não vamos aceitar", disse. "Não é aceitável que os bombeiros tenham sido obrigados a desviar seus recursos para atender, na segunda-feira, um incêndio provocado na cidade de Concepción nem que as pessoas tenham que organizar mecanismos de autodefesa para cuidar do pouco que restou após o terremoto", completou a presidente.


*Com EFE, Reuters e BBC

Leia também:

Leia mais sobre terremoto

    Leia tudo sobre: chileterremototerremoto no chile

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG