Número de mortos por terremoto no Chile sobe para 763

O número de mortos pelo terremoto de sábado no Chile subiu para 763, enquanto o de desabrigados continua em dois milhões, segundo informou nesta terça-feira o governo chileno.

iG São Paulo |

Segundo o Escritório Nacional de Emergência (Onemi, na sigla em espanhol), dependente do Ministério do Interior chileno, houve 554 mortos na região do Maule, onde foi localizado o epicentro do terremoto de 8,8 graus na escala Richter.

Outras 92 vítimas fatais são da região de BioBío, 48 mortos na Província de O'Higgins, 18 na cidade de Valparaíso e 13 na região de La Araucanía. Na capital Santiago, onde vivem 6,2 milhões de pessoas, a Onemi informou que 38 pessoas morreram por causa do terremoto.

O terremoto de sábado, seguido por tsunamis, foi um dos mais poderosos dos últimos 100 anos.

As equipes de socorro tentam resgatar as pessoas presas entre os escombros em cidades como Concepción, Talcauano, Curicó, San Javier, Linares e Talca.

No domingo, a presidente do Chile, Michelle Bachelet, anunciou medidas de emergência para ajudar as vítimas, entre elas a declaração de "zona de catástrofe" para as regiões de Maule e BioBío, onde está Concepción, segunda maior cidade do país e uma das mais atingidas pelo tremor.

AP
Destruição é vista na cidade chilena de Pelluhue

Destruição é vista na cidade chilena de Pelluhue

A Força Aérea do Chile vai levar suprimentos para as duas áreas e os militares vão assumir a liderança da distribuição. Produtos básicos serão entregues de graça, mas os pontos de entrega ainda terão de ser decididos.

Um toque de recolher também foi determinado para as duas regiões. Em Concepción, violações do toque de recolher causaram uma morte e mais de 160 detenções.


*Com EFE, Reuters e BBC

Leia também:

Leia mais sobre terremoto

    Leia tudo sobre: terremoto no chile

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG