Pequim - O violento terremoto de 12 de maio deixou 40.075 mortos em todas as regiões afetadas do sudoeste da China, anunciou nesta terça-feira o Centro Nacional de Controle e Prevenção de Desastres. Cerca de 30 mil pessoas ainda estão desaparecidas, o que pode elevar o número de mortos para 70 mil.

A catástrofe também deixou 247.645 feridos, segundo o site do organismo.

O vice-governador da província de Sichuan (sudoeste, a mais afetada), havia anunciado mais cedo que o terremoto deixara 39.577 mortos apenas em sua província.

Anúncio de novo tremor gera pânico

O anúncio de que uma forte réplica de até 7 graus de magnitude na escala aberta de Richter pode sacudir hoje a zona devastada pelo terremoto na China gerou pânico nesta terça-feria entre os sobreviventes da tragédia.

Segundo a agência oficial de notícias "Xinhua", após o anúncio, os moradores do distrito de Wenchuan, devastado pelo tremor de 8 graus de 12 de maio, fugiram apavorados de suas casas carregando cobertores, móveis e utensílios.

AFP/Peter Parks
Medo de novo tremor fez moradores fugirem de suas casas
Medo de novo tremor fez moradores fugirem de suas casas



Em Chengdu, a capital provincial, as pessoas decidiram fugir imediatamente em seus carros, o que congestionou as estradas e postos de gasolina da região.

Muitos moradores passaram a noite acordados e permaneceram alertas e preparados para fugir das tendas de campanha em que vivem provisoriamente.

O devastador terremoto de 12 de maio é o pior na China em três décadas. O número de mortos no terremoto registrado na segunda-feira passada na China já supera os 39. 577 na província de Sichuan, epicentro do tremor, segundo dados do governo provincial divulgados nesta terça-feira pela agência oficial "Xinhua".

A mesma reação de pânico diante do anúncio da réplica foi registrada no restante da província de Sichuan, onde aconteceu o epicentro do terremoto, e em Guizhou e Chongqing.

"Tivemos de responder a centenas de chamadas a partir das 22h da noite (de ontem), quando foi anunciada a possibilidade de uma forte réplica", assinalou Chen Benjin, responsável pelo birô sismológico de Guizhou.

Desde a semana passada, a região de Sichuan sofreu mais de 122 novos tremores, sendo que um deles marcou 6,1 graus na escala Richter.

Resgates milagrosos

Equipes que atuam na região do terremoto que sacudiu a província chinesa de Sichuan, há oito dias, conseguiram resgatar com vida um homem que ficou soterrado por quase 179 horas, ou seja, por mais de uma semana. O executivo Ma Yuanjiang, de 31 anos, participava de uma reunião em uma usina de eletricidade em Wenchuan quando o tremor de 8 graus desabou o prédio de dois andares onde ele estava.

Após uma operação de resgate que durou 30 horas, Ma Yuanjiang foi resgatado com vida.

Uma mulher também foi resgatada nesta terça-feira, informou a agência de notícias estatal Xinhua (Nova China). A mulher passou 195 horas soterrada, informou a agência, que não revelou mais detalhes do resgate.

Histórias de resgate de pessoas com vida estão ficando cada vez mais raras à medida em que cresce o número de mortos no terremoto da segunda-feira passada.

A China estima que 71 mil pessoas estejam mortas, soterradas ou desaparecidas.


Perdas já chegam a US$ 9,5 bi

O governo da China informou que as empresas sofreram perdas diretas de 67 bilhões de yuans (cerca de US$ 9,5 bilhões) com o terremoto da semana passada, um volume que provavelmente deve aumentar, uma vez que contínuos abalos secundários mantêm as empresas nas áreas afetadas fechadas. A estimativa foi feita pelo vice-ministro do Ministério de Indústria e Informação, Xi Guohua, durante entrevista à imprensa.

Ele não detalhou as perdas. O cálculo foi feito à medida que o número de mortos em conseqüência do terremoto aumenta rumo aos 50.000. O epicentro do tremor, que a China mediu como magnitude de 8 graus, foi na área rural da província chinesa de Sichuan. Cidades vizinhas registraram menos danos, mas réplicas do terremoto continuam sacudindo a região.

A AIR Worldwide, empresa de modelos de riscos de catástrofes, estima que as perdas nas propriedades danificadas deverão superar US$ 20 bilhões. O Banco Agrícola da China, maior cedente de empréstimos para zonas rurais, disse que espera registrar mais de 6 bilhões de yuans em empréstimos. O vice-presidente do banco, Zhang Yun, disse também que 90 unidades do banco em Sichuan ainda não conseguiram retomar as operações, mas a extensão do impacto do terremoto nos negócios foi limitada.

Economistas disseram que o terremoto deve ter um impacto limitado e temporário na economia chinesa, uma vez que Sichuan representa 4% do Produto Interno Bruto (PIB) do país. O PIB da China cresceu 10,6% no primeiro trimestre do ano, após avanço de 11,9% em 2007. Segundo artigo do jornal estatal China Securities Journal, citando analistas locais, o terremoto pode tirar de 0,2 a 0,7 ponto porcentual do crescimento anual da economia chinesa este ano. As informações são da Dow Jones.

( Com informações da BBC, AFP, Agência Estado e EFE )

Clique na imagem e veja o infográfico sobre o terremoto na China

Veja também:

  • China lança selo beneficente para vítimas do tremor
  • ONU está preocupada com vazamentos de amoníaco e ácido sulfúrico na China 

  • Leia mais sobre : terremoto  - China


    • Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.