Com necrotérios lotados, prefeituras de cidades atingidas por fortes chuvas fazem enterros coletivos

Subiu para 927 o número de mortes causadas pela tempestade tropical Washi, que atingiu o sul das Filipinas na sexta-feira. Em uma das piores tragédias da história do país, fortes chuvas inundaram rios e fizeram com que paredes d'água corressem pela região enquanto moradores dormiam.

O chefe da Defesa Civil, Benito Ramos, disse que o governo “perdeu a conta” do número de desaparecidos, que segundo a Cruz Vermelha está em torno de 800.

Moradores tentam recuperar pertences após sua casa ser arrastada até colidir com mansão em Iligan, nas Filipinas
AP
Moradores tentam recuperar pertences após sua casa ser arrastada até colidir com mansão em Iligan, nas Filipinas

A impressionante quantidade de mortos lotou as funerárias da cidade de Iligan, onde o governo começou a realizar enterros coletivos. De acordo com o prefeito, Lawrence Cruz, cerca de 50 corpos que não foram identificados por familiares foram enterrados.

“Estamos fazendo isso por razões sanitárias. Os corpos estão entrando em decomposição e não temos onde colocá-los”, afirmou o prefeito de Iligan, onde 279 morreram.

Em uma cidade vizinha, Cagayan de Oro, onde 580 morreram, moradores resistem a funerais em massa e exigem que o governo espere até que os familiares busquem seus parentes mortos. Para muitos filipinos, o ritual seria “não cristão”.

As chuvas causadas pela tempestade tropical afetaram cerca de 143 mil pessoas em 13 províncias do centro e do sul das Filipinas. Cerca de 45 mil moradores foram para abrigos e sete mil casas foram destruídas ou danificadas, de acordo com a Defesa Civil.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, expressou sua solidariedade ao povo das Filipinas em um comunicado divulgado nesta sexta-feira. “Seguindo nossa longa tradição de amizade e cooperação, os EUA estão prontos para ajudar a população e o governo filipinos, se necessário”, afirmou.

O governo e a Cruz Vermelha das Filipinas pediram ajuda para alimentar, vestir e abrigar mais de 35 mil pessoas refugiadas nos centros de evacuação. As autoridades compararam Washi com o tufão Ketsana, um dos mais mortíferos dos últimos anos, que inundou grande parte de Manila em 2009, causando a morte de 464 habitantes

Os especialistas das agências internacionais identificam a favelização como o principal fator do grande número de vítimas que os desastres naturais causam nas Filipinas, evidenciando o mal estado das infraestruturas.

O desmatamento incontrolado também favorece as enchentes e deslizamentos de terra, que são frequentes durante a estação chuvosa que no geral começa em maio e termina em novembro.

Com EFE, AP e AFP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.