Número de mortos por deslizamentos em Angra chega a 35, mas pode dobrar

O número de mortos por causa de deslizamentos de terra no município de Angra dos Reis (RJ) na madrugada da sexta-feira chegou a 35, mas ainda pode até dobrar por causa dos vários desaparecidos, informou a Secretaria Estadual da Defesa Civil, neste sábado. Os desabamentos atingiram uma favela do centro de Angra, de onde já foram retirados 12 corpos, e uma praia da Ilha Grande (parte do município de Angra), onde fica uma pousada de luxo e várias casas, e onde foram encontrados pelo menos 23 mortos.

BBC Brasil |

Alguns corpos removidos da Ilha Grande foram levados para o Instituto Médico Legal (IML) do Rio, e pelo menos oito deles já foram identificados.

Em todo o Estado, o número de mortos por desabamentos provocados pelas chuvas dos últimos dias já chega a 54.

Lula
Durante visita aos locais atingidos, neste sábado, o governador do Rio, Sérgio Cabral, alertou que pelo menos 3 mil casas em Angra dos Reis estão em áreas de risco.

Além disso, o Corpo de Bombeiros acredita que há possibilidades de novos deslizamentos na região.

Cerca de 500 pessoas estão desabrigadas, 80 casas foram evacuadas por risco de novos desabamentos e boa parte da Ilha Grande está sem eletricidade, telefone ou rádio.

A Prefeitura de Angra dos Reis decretou estado de calamidade pública.

Segundo uma porta-voz da Defesa Civil, mais chuvas fortes estão previstas, o que poderá dificultar ainda mais o resgate.

Cabral disse ainda que, na manhã deste sábado, recebeu um telefonema do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, expressando sua solidariedade e perguntando sobre os trabalhos de resgate e ajuda às vítimas das chuvas.

Lula está passando férias em uma base naval em Salvador (BA).

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG