Número de mortos em incêndio na capital do Quênia passa de 80

Cruz Vermelha afirma que cinco vítimas morreram no hospital, enquanto tratavam de queimaduras

iG São Paulo |

O número de mortos pelo incêndio provocado pela explosão de um oleoduto em um bairro pobre de Nairóbi, capital do Quênia, subiu para 87, informou nesta terça-feira à agência Associated Press uma funcionária da Cruz Vermelha no país. O governo queniano declarou dois dias de luto pelas vítimas do desastre.

AP
Voluntários encontram corpo em rio durante as buscas em Nairóbi, no Quênia

Uma coordenadora da Cruz Vermelha Pamela Indiaka disse que outras cinco vítimas morreram nesta terça no hospital, enquanto submetidas à tratamento por conta de queimaduras, elevando o número de óbitos para 87.

Um corpo foi encontrado na noite de segunda-feira e mais seis foram recuperados no esgoto do rio nesta manhã, quando as buscas recomeçaram às 7h30 (1h30, horário de Brasília). Indiaka afirmou que a Cruz Vermelha chamou sua missão de busca no local da explosão.

"Nós não temos nenhuma esperança de achar mais corpos e pedimos ao governo para chamar a marinha para ver se podem enviar mergulhadores para procurarem por corpos que possam estar presos no rio", disse ela à AP.

A Cruz Vermelha queniana criou um centro de aconselhamento em um salão onde os desabrigados foram acolhidos com a intenção de ajudar as pessoas afetadas pelo fogo. Entre os sem-teto estava Olipha Birongo Oginga, que correu das chamas carregando nas costas seu sobrinho de dois anos e levando pela mão seu irmão de sete anos.

Oginga disse que saiu de casa depois que viu os moradores correndo de suas casas para recolher a gasolina que havia vazado do oleoduto. De acordo com ela, alguns residentes pareciam intoxicadas com a fumaça da gasolina e, então, a explosão ocorreu.

Segundo a agência mortuária, somente dez dos corpos foram identificados até o momento.

O acidente ocorreu por volta das 9h locais de segunda-feira (3h de Brasília) e deixou mais de 100 feridos, que foram transferidos aos hospitais da capital queniana com queimaduras.

Segundo o deputado Johnson Muthama, presente no lugar do acidente, a explosão aconteceu quando várias pessoas da favela do Sinai, no sudeste de Nairóbi, detectaram um vazamento no oleoduto e passaram a recolher o combustível, embora tenha admitido não conhecer a origem do fogo.

O oleoduto onde houve o acidente, é de propriedade da companhia estatal Kenya Pipeline, que transportava combustível da cidade portuária de Mombaça para Eldoret, no centro-oeste do país, passando pela capital, Nairóbi.

Na segunda-feira, o primeiro-ministro queniano, Raila Odinga, visitou o hospital de Kenyatta, para onde muitos feridos foram levados, e disse que o governo pagará o tratamento médico de todos os feridos e compensações a parentes de vítimas. "É um acidente terrível", afirmou, prometendo uma investigação.

Em nota divulgada na segunda, o governo brasileiro expressou seu "profundo pesar" pelas mortes e transmitiu a todos os quenianos e aos familiares das vítimas, "as condolências e a solidariedade do povo brasileiro".

* Com AP e EFE

    Leia tudo sobre: quêniaexplosãooleodutoincêndio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG