Número de mortos em incêndio em discoteca equatoriana pode aumentar

Quito, 19 abr (EFE).- O número preliminar de 13 mortos no incêndio em uma discoteca em Quito poderia aumentar diante da gravidade das queimaduras de pelo menos dois dos 35 feridos que chegaram a diversos hospitais, segundo comentaram médicos que os atendem.

EFE |

Embora fontes da Polícia tenham indicado à Agência Efe que até o momento foram comprovadas a morte de 13 pessoas, César Enríquez, membro dos Bombeiros, falou de 15 mortos, e a imprensa local informa de 17 mortes no incêndio na discoteca onde se apresentavam seis grupos de rock.

A Polícia e os Bombeiros concordam em que 35 pessoas ficaram feridas no incêndio, cuja origem é desconhecido, embora testemunhas e versões de imprensa mencionam como possibilidade o lançamento de fogos de artifício.

Mercedes Almagro, chefe de Emergências do hospital "Eugenio Espejo", de Quito, onde chegaram sete dos feridos mais graves do incêndio, disse à Efe que pelo menos dois estão em estado crítico.

Além disso, assinalou que outro ferido "vai entrar em tratamento intensivo, está em estado crítico, muito delicado porque tem queimaduras na via respiratória".

A televisão "Ecuavisa" informou da detenção de quatro empregados da discoteca para investigação.

A Polícia informou que outros feridos se recuperam em diversos hospitais, mas seu estado de saúde não foi detalhado.

Enquanto isso, cenas de dor e angústia eram viviam nas portas do hospital onde pessoas desesperadas faziam uma nova escala em sua peregrinação pelas casas de saúde na busca de parentes que estavam no concerto. EFE sm/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG