Número de mortos em enchentes na Tailândia ultrapassa 500

Meses de chuvas pesadas causaram as piores inundações dos últimos 50 anos na Tailândia

BBC Brasil |

selo

As autoridades da Tailândia informaram que o número de pessoas mortas nas enchentes que devastaram o norte do país ultrapassou 500. O tempo parece ter melhorado e as águas começam a recuar na região, mas o Departamento de Prevenção e Mitigação informou neste domingo que 506 pessoas morreram desde julho.

Leia também: Tailândia transfere presos e impõe racionamento por enchentes

AP
Menino nada em rua alagada neste sábado, em Bangcoc
Meses de chuvas pesadas causaram as piores inundações dos últimos 50 anos na Tailândia, destruindo terras cultiváveis e obrigando dezenas de milhares de pessoas a abandonarem suas casas.

Grandes partes da capital, Bangcoc, também estão inundadas e há o temor de que o centro da cidade ainda seja mais atingido pelas águas. 

O governo anunciou um plano de US$ 4 bilhões (quase R$ 7 bilhões) para recuperar o país.

A primeira-ministra tailandesa, Yingluck Shinawatra, afirmou que o dinheiro será usado para reconstruir casas, empresas e recuperar a economia.

"O trabalho deve ser feito em 45 dias, pois as pessoas já sofreram por muito tempo", teria dito a primeira-ministra segundo o jornal The Bangkok Post.

"Admito que a tarefa me deixou exausta, mas não desistirei", acrescentou Shinawatra, pedindo a comprensão do público.

As autoridades do país foram criticadas devido ao que o público achou ser uma reação muito lenta à inundação e por dar orientações divergentes sobre a evacuação das áreas afetadas.

Capital
Rachel Harvey, correspondente da BBC em Bangcoc, afirmou que há dúvidas quanto à capacidade das autoridades de proteger a capital.

A cidade, cortada por rios e canais, há semanas está ameaçada em um momento em que as águas das inundações se dirigem para o mar.

Não foram registradas mortes em Bangcoc, mas um quinto da cidade está inundado e dezenas de milhares de moradores, de oito dos 50 distritos de Bangcoc, receberam orientações para deixar suas casas.

E também há a crescente preocupação com problemas de saúde, devido a grande quantidade de água poluída que invadiu a cidade e está na altura do peito dos moradores em algumas áreas.

As águas também chegaram ao mercado Chatuchak, um grande shopping center a céu aberto e uma atração turística de Bangcoc. Muitos dos milhares de lojistas seguiram a orientação do governo e fecharam suas lojas temporariamente.

O segundo aeroporto da capital, Don Muang, está inundado. Mas o principal aeroporto internacional, de Suvarnabhumi e o sistema de transporte público continuam funcionando.  

    Leia tudo sobre: tailandiabangcocchuvas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG