Número de mortos em desastre aéreo em cidade congolesa ainda é desconhecido

Kinshasa, 18 abr (EFE) - Equipes de resgate congolesas, auxiliadas por forças especiais da ONU, continuam trabalhando hoje nos destroços do avião que sofreu um acidente na terça-feira na cidade de Goma, na República Democrática do Congo, enquanto as autoridades tentam estabelecer o número definitivo de vítimas.

EFE |

O DC-9 da companhia Hewa Bora bateu quando decolava do aeroporto da cidade de Goma, junto à fronteira com a Ruanda, aparentemente porque o piloto perdeu o controle da aeronave devido a uma falha no trem de pouso.

"Quatro dias após o drama, ainda não pudemos afirmar o número exato de mortos", disse hoje Julien Paluku, governador da província de Nord-Kivu, onde Goma está localizada.

O número estimado de mortos subiu hoje para 42, menos que as 63 inicialmente anunciadas pelas autoridades portuárias no dia do acidente.

Mas esse número pode acabar se aproximando dos 60, porque 15 pessoas que estavam no local onde a aeronave caiu estão desaparecidas.

A maioria dos 79 passageiros e tripulantes do avião de carga sobreviveu ao acidente, mas o aparelho caiu em uma área de casas e lojas próximas à pista, e muitas das vítimas são pessoas que estavam ali.

Paluku disse que é difícil chegar ao número final porque ainda há corpos carbonizados entre os destroços do avião, que se incendiou ao cair.

Participam dos trabalhos de resgate policiais, militares e o pessoal da missão da ONU na República Democrática do Congo.

Este foi o terceiro acidente aéreo grave registrado em menos de um ano no país, em todos os casos com muitas vítimas e com aviões de transporte de carga utilizados para levar passageiros. EFE py/ev/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG